ADs

Resenha (82) - Starters


Sinopse:
Seu mundo mudou para sempre.
Callie perdeu os pais quando as guerras de Esporos varreu todas as pessoas entre 20 e 60 anos. Ela e seu irmão mais novo, Tyler, estão se virando, vivendo como desabrigados com seu amigo Michael e lutando contra rebeldes que os matariam por uma bolacha.
A única esperança de Callie é Prime Destinations, um lugar perturbador em Berverly Hills que abriga uma misteriosa figura conhecida como o Old Man. Ele aluga adolescentes para alugar seus corpos aos Terminais — idosos que desejam ser jovens novamente. Callie, desesperada pelo dinheiro que os ajudará a sobreviver concorda em ser uma doadora. Mas o neurochip que colocam em Callie está com defeito e ela acorda na vida de sua locadora, morando em uma mansão, dirigindo seus carros e saindo com o neto de um senador.
Parece quase um conto de fadas, até Callie descobrir que sua locatária pretende fazer mais do que se divertir — e que os planos de Prime Destinations são tão diabólicos que Callie nunca podia ter imaginado...

Callie - Retirado do Booktrailer.

Antes de mais nada devo dizer que este livro tem uma capa que acho linda. Sempre gostei e sempre foi o que mais me chamou atenção para comprar o livro. Lógico que gosto não se discute e muita gente pode achá-la ruim, mas todos irão concordar que os livros sempre deveria ter o mesmo grau de investimento no acabamento.


Depois de muito esperar e namorar este livro finalmente consegui por as mãos no primeiro volume da trilogia distópica escrita por Lissa Price. Como todo livro para jovens adultos, a trama segue a receita mágica e contem uma heroína adolescente e um triangulo amoroso. Infelizmente não dá muito para escapar do clichê hoje em dia se você quer ler algo um pouco mais light com uma boa trama de fantasia ou distopia.

Porém esse é o único ponto fraco do livro. A protagonista é forte e tem um bom embasamento para suas ações. Nada de menininha tapada por aqui, ela faz mais o tipo badass que assume os riscos e faz o que precisa para sobreviver. Os outros personagens são totalmente absorvidos pela história e pela protagonista que domina praticamente todo o livro que é escrito a partir de sua narrativa dos fatos.

Sala de visitas da Prime Destinations.
A trama é envolvente e prende fácil a atenção do leitor, pois contem ação desde as primeiras páginas. São poucos os momentos do livro onde nada acontece e não há nada para descobrir ou nenhum drama se desenrolando. Outro ponto interessante e agradável é que a autora não poupou descrições sobre o universo da história como é comum no gênero. Desde o começo temos bastante detalhes do que aconteceu e porque estão todos ali vivendo aquela situação, isso ajuda muito a criar o cenário em nossas cabeças.

Callie e Terry - Retirado do Booktrailer.
O livro começa apresentando Callie, que é a protagonista do livro e quem narra tudo para nós leitores. Além dela, conhecemos logo de cara o seu pequeno e eternamente doente irmãozinho Tyler. Também conhecemos Michael , melhor amigo, mais ou menos namorado e possivelmente futuro friendzone de Callie. (Esse romances absurdos que colocam nos livros do gênero YA às vezes cansam de verdade).

Os três vivem na rua, em prédios abandonados, fugindo do governo que tem como única solução par ao problema tranca-los como delinquentes, isso se sobreviverem a apreensão, e dos outros jovens que sempre podem ser renegados, jovens violentos sempre dispostos a matar por migalhas de qualquer coisa que possam por as mãos. Nem sempre foi assim, todos tinham famílias normais e lares saudáveis até que veio a guerra e dizimou praticamente 100% da população adulta do mundo.

Um outro reflexo da guerra porém, foi a possibilidade de um ser humano viver até os seus duzentos anos, dividindo os órfãos e os idosos em dois mundos praticamente diferentes, apesar de habitarem o mesmo espaço. Os mais novens passaram a se denominar starters, fossem eles ricos ou pobres. Os mais velhos passaram a se chamar Enders. O leitor mais perspicaz já percebeu o joguinho de palavras com a língua inglesa, afinal starter podemos traduzir com iniciantes e Enders como veteranos, ou melhor, terminais.


Outros avanços tecnológicos possibilitaram coisas que seriam completamente impossíveis cem anos antes. Uma dessas tecnologias por exemplo possibilita que um ender ingresse no corpo de um starter e usufrua de sua juventude pelo tempo definido no contrato de um aluguel. Da mesma forma como alugamos um carro hoje. E ai conhecemos outro personagem, o vilão desse primeiro livro que é a empresa Prime Destinations.

Velhos alugam corpos de jovens.
Desesperada pela falta de perspectiva, pela doença do irmão e disposta a quase tudo para mudar de vida Callie vai até a Prime e assina o contrato onde disponibiliza seu corpo por três aluguéis em troca de uma quantia milionária. Porém, ela não demora em perceber que a má impressão que teve na primeira visita tinha fundamento e que os propósitos da Prime não são somente desonestos, mas criminosos e difíceis de combater, uma vez que até mesmo no governo a empresa conseguiu se infiltrar e a vida de milhares de starters pode estar em jogo.


Hora de falar do que gostei. Adorei a Callie. Corajosa e destemida, tem o perfil que teria alguém que passou por tantos problemas sozinha e sem ajuda. A cena dela confrontando o senador foi uma das melhores. (leiam para entender =) )
Também gostei da tecnologia criada pela autora. Controle de mente sempre foi algo fascinante na literatura e no cinema e ela soube criar uma boa trama envolvendo um nível maior de controle, o controle total do corpo e da mente de um indivíduo.

Já o que não gostei foi definitivamente o velho e cansativo romance infantilizado e um triangulo amoroso sem sentido. Fora isso, que já me acostumei e leio os trechos como lemos folhetinho de apartamento entregue no farol, esperava conhecer alguns dos outros personagens que parece, irão ganhar mais participação nos próximos livros. A história é totalmente focada na Callie mas há outros personagens fortes a serem explorados. Espero que ela trabalhe mais neles e que também acerte na solução do triangulo. Afinal acho chato mas sempre tenho o meu preferido de com quem a protagonista deve ficar.


Trechinhos:

“Devia haver alguma forma de sair dessa situação insana. Alguma maneira que não envolvesse aquele banco de corpos assustador ou trabalho escravo legalizado.”

“Por favor. Nossos pais morreram. – Meus olhos ardiam com as lágrimas. – As últimas fotografias que temos deles estão dentro daquele prédio. Terceiro andar, no fim do corredor. Será que alguém poderia apenas nos trazer o holoálbum? Mesmo se tiverem de jogá-lo pela janela? Ele ficou imóvel por um momento, como se estivesse considerando o pedido.
- Gostaria de poder fazer isso, mas é impossível. Lamento.”

“O que a Prime fizera com minha cabeça? Talvez alguma coisa tivesse acontecido com meu cérebro quando eles inseriram o chip. Poderia ser o próprio chip? Eu nunca deveria ter confiado meu corpo a eles.”

“A casa de Madison era decorada em um estilo que provavelmente estava na moda havia vinte anos: alienígena chique. Cadeiras verdes brilhantes que flutuavam no ar, hologramas com candelabros estranhos e paisagens alienígenas em 3-D nas paredes.”

Lissa Price
Conclusão:
Um ótimo começo de trilogia. O livro prende, deixa um bom gancho para o final, com a protagonista mais forte do que nunca para enfrentar os inimigos e promete muita ação sse colocarmos o primeiro livro como parâmetro. Por enquanto, posso dizer que recomendo a trilogia starters. Vamos ver se o segundo livro mantém essa empolgação que senti quando acabei o primeiro volume.

Autor: Lissa Price
Livro: Starters
Editora: Novo Conceito
Ano: 2012
Páginas: 368
Compre o Seu: Cultura ou Amazon

Ler é Mais

Lorem ipsun