ADs

Resenha (77) - Doctor Who: 12 Doutores, 12 Histórias


Sinopse:
Coletânea de histórias inéditas do cultuado personagem da série de TV britânica, Doctor Who: 12 doutores, 12 histórias reúne contos protagonizados pelo famoso Senhor do Tempo e sua indefectível nave espacial TARDIS, assinados pelos maiores nomes da literatura fantástica da atualidade. Nascida na década de 1960, Doctor Who tornou-se um fenômeno da cultura pop e segue arrebatando novos fãs a cada dia e inspirando autores de fantasia e ficção científica de todo o mundo, entre eles nomes estrelados como Eoin Colfer, Michael Scott, Philip Reeve, Holly Black e Neil Gaiman, entre outros escritores que participam da coletânea. Publicadas individualmente em e-book, as histórias agora reunidas em livro saem pelo selo Fantástica.

A Tardis viajando no vórtice do espaço-tempo.
Doctor Who, para aqueles que não conhecem, é uma premiada série de ficção cientifica produzida e exibida pela BBC, rede britânica de televisão. A série está no ar desde 1963, o que nem precisamos citar como algo histórico na televisão mundial. Aproveito aqui para avisar que quem assina netflix, pode assistir a nova geração da série que se iniciou em 2005 até a última temporada exibida. Se gostar pode se aventurar em episódios sem cores encontrados na internet e acompanhar os primeiros doutores que existiram.

Como assim primeiros doutores? Doctor Who não é um cara só? É e não é! Ele pertence
David Tennant, 10° doutor,
considero por muitos o melhor.
a uma raça chamada Senhores do Tempo. Essa raça em particular pode se regenerar quando percebe que está próximo da morte e acaba se tornando uma nova pessoa, com uma nova face, corpo e personalidade. As únicas coisas que permanecem são as memórias, ou melhor, as vezes permanecem afinal não dá para lembrar de todos os seus Eus e tudo o que viveu em quase mil anos.

Até o momento conhecemos 12 doutores diferentes e isso é o motivo do nome do livro. Foram doze atores diferentes interpretando o doutor e doze personagens diferentes dentro de um só. Pode parecer confuso, mas isso faz parte da mágica da série e agora dos montes de livros que estão sendo lançados mundo afora, não que livros sejam novidade no universo Whoviano.

Daleks, os maiores inimigos.
O Doutor viaja no tempo em uma máquina chamada Tardis, que além de diversas outras particularidades, tem a aparência de uma antiga cabine telefônica da policia britânica (que você só vai saber porque está assim se assistir os primórdios da série). Justamente por poder viajar pelo espaço e pelo tempo, a possibilidade de histórias são quase infinita, e foi esse potencial que exploraram de forma sensacional no livro.

12 Doutores, 12 Histórias narra uma aventura diferente para cada doutor. São lugares de nosso passado, ou lugares do espaço, não importa, você irá acompanhar cada um dos personagens emblemáticos do Doutor em ótimas e divertidas aventuras.

Não podemos esquecer que cada doutor vai estar devidamente acompanhado de seus ou suas companheiras. Afinal o doutor nunca viaja sozinho, ou quase nunca. Os autores escolhidos par escrever as histórias, devo comentar, conseguiram acompanhar cada um das personas do Doutor de forma primorosa.

Mesmo que não faça ideia de quem é Doctor Who e de que diabos eu estou falando, encare esse livro como um livro de ficção cientifica sobre um cara muito inteligente, divertido e às vezes convencido e arrogante que viaja no tempo e no espaço. Você não vai se arrepender.


Adoro Doctor Who. Comecei lendo sabendo que seria quase impossível não gostar, porém estava desconfiado de que algum autor iria estragar inventando moda. Mas isso não aconteceu! Todos os escritores conseguiram pegar a essência de cada Doutor e o que temos no livro são 12 histórias fieis a seus personagens. Esse é sem duvida o ponto forte do livro, os Doutore são os mesmos que já conhecemos da TV.

Acho que como ponto negativo posso citar o fato de que, por serem contos,  as narrativas acabam como histórias bem corridas e ficam faltando algumas coisas do cenário e do enredo como todo. Além disso, senti falta de personagens e vilões comuns na série mas que não apareceram nos contos.


Trechinhos:
“-Você não contou como perdeu a mão doutor.
- Não. Não contei. Se quer mesmo saber , eu estava duelando com um Pirata de Almas que me feriu com uma espada incandescente. Se a lâmina não estivesse cauterizado a ferida, acho que estaria olhando para um Doutor diferente agora.”

“- Desculpe. Qual é a sua pergunta? Jo engoliu em seco.
- Então... essa lança...a lança mágica de Odin...talvez eu tenha entendido errado, mas...Odin não era um Deus?
- É o que dizem.
- Bom, não é um pouco preocupante? – Ao contrário. Eu diria que é até bem divertido.
– Divertido? Questionou Jo, olhando com nervosismo a lança junto ao umbral. – Você acha mesmo que o dono de Gugnir era um Deus? O Doutor sorriu novamente. – Acho que estamos prestes a descobrir...”

“Acima da superfície morta de um mundo desconhecido, ao longe, entre as Estrelas de Outono, a Estrutura Heligan pende sozinha sob a luz forte e fria do espaço. Uma arvore que nunca conheceu a força da gravidade, exceto a própria, se tornou enorme, esticando os galhos imensos em todas as direções. Entre as folhas lustrosas, as pessoas construíram casas, salões e galerias, mas a árvore não as percebe. Está adormecida há séculos, sonhando seus sonhos longos, lentos e amargos de vingança...”

“Alguém pode me explicar o que está acontecendo? – perguntou Nettie, e Jonny viu que ela segurava a garrafa de refrigerante como uma arma em potencial contra os peixes-ovelhas e doutores misteriosos usando suéteres brancos ou mulheres britânicas que vestiam calças.”

“É incrível como nos escondemos disso, não é? Quanto da violência do universo vem da relutância em dizer essas três pequenas palavras: “Estou com medo.” Todo mundo fica com medo. Todos nós mesmo. Mas você já admitiu isso, já disse em voz alta? Vá em frente: “Estou com medo.”...

Neil Gaiman é um dos autores presentes no livro.
Conclusão:
Adoro a série de televisão, está entre minhas favoritas e recentemente embarquei na grande aventura de assistir os antigos episódios em preto em branco e não me arrependo. Esse foi o primeiro livro do Doctor Who que li e escolhi justamente por se tratar de uma história para cada doutor. Adorei.  Se você curte Doctor Who ficará encantado assim como eu. Se não conhece ou não gosta da série mas é fã de ficção, de uma chance ao livro. Irá lhe surpreender.

Autor: Vários Autores
Livro: 12 Doutores, 12 Histórias (12 Doctors, 12 Stories, 12 Postcards)
Editora: Rocco (Penguin UK)
Ano: 2014 (2014)
Páginas: 480 (592)
Compre o Seu: Amazon ou Cultura

Ler é Mais

Lorem ipsun