ADs

Resenha (73) - O Bicho-da-Seda


Sinopse:
Quando do desaparecimento do romancista Owen Quine, sua esposa procura o detetive particular Cormoran Strike. Inicialmente, ela pensa apenas que o marido se afastou por alguns dias — como fez antes — e quer que Strike o encontre e o leve para casa.
Mas, à medida que investiga, fica claro para Strike que há mais no sumiço de Quine do que percebe a esposa. O romancista acabara de concluir um livro retratando maldosamente quase todos que conhece. Se o romance fosse publicado, a vida deles estaria arruinada — assim, muita gente pode querer silenciá-lo.
E quando Quine é encontrado brutalmente assassinado em circunstâncias estranhas, torna-se uma corrida contra o tempo entender a motivação de um assassino impiedoso, um assassino diferente de qualquer outro que Strike tenha encontrado na vida…

Créditos: R Kikuo Johnson
O Chamado do Cuco, primeiro livro dessa série policial escrito por J.K.Rowling (Na pessoa de Robert Galbraith) foi uma enorme e satisfatória surpresa quando li. Uma vez que a autora havia escrito nada mais nada menos que Harry Potter e sua primeira tentativa de um livro com foco mais adulto, que foi Morte Súbita, não empolgou nem um pouco, eu não esperava muito dessa nova saga que conta a história de um detetive aleijado e rabugento.

A primeira história do detetive Cormorn Strike foi tão boa, mas tão boa, que coloquei a minha autora de fantasia preferida também como autora de romance policial preferida. Sim! A frente de Agatha Christie. Nada contra poirot, mas Strike é muito mais envolvente e atual, o que torna o personagem mais atraente para um jovem (ou quase jovem) leitor.

Estava receoso para ler o segundo livro da série. O Bicho-da-Seda não tem um nome muito atrativo e tinha medo de no final das contas, Rowling ter apenas dado sorte e que seu talento estava mesmo na fantasia. Porém, após terminar de ler o livro, garanto a vocês que a britânica tem de fato o dom raro de contar histórias, sejam elas de qualquer natureza. Tipicamente um romance policial, O Bicho-da-Seda é um livro que te prende, onde é muito fácil se identificar e torcer pelos personagens.

Créditos: R Kikuo Johnson
Os personagens por sinal são o diferencial da história. Sem seguir o clichê de uma mente brilhante que deduz crimes somente porque é inteligente demais comparado aos demais mortais, Strike é um detetive tradicional. Sua única habilidade especial é seu treinamento no exército que o tornou uma pessoa metódica e detalhista, o que o ajuda na resolução dos casos, além é claro de sua assistente, sem a qual ele nem mesmo teria conseguido notoriedade e provavelmente estaria amargando a falência financeira, sem carreira e em futuro. Essa simplicidade só torna a história mais interessante e isso, junto a fantástica habilidade que Rowling tem para criar ambientes e universos complexos, faz com que O Bicho-da-Seda seja um livro sensacional, digno, assim como O Chamado do Cuco, de figurar entre os melhores romances policias já escritos.

Nesse segundo volume temos Strike no final da fama. A publicidade gratuita, adquirida após conseguir provar que a jovem atriz Lula Landry não havia se suicidado, começa a desaparecer e os clientes aparecem em um ritmo agradável e constante, o suficiente para pagar as despesas e o salário de Robin, que mesmo após ter corrido risco de vida no bombástico caso não abandonou seu posto e continua a ajudar o detetive em suas tarefas diárias, se esforçando cada vez mais para não ser somente a moça que abre portas e serve café.

Tudo vai bem até que uma confusa e aparentemente perturbada Leonora entra em seu escritório e tenta contratá-lo para encontrar seu marido, um escritor que costuma sumir por vários dias, mas segundo sua esposa, já deveria ter voltado para casa. Mesmo sem nenhuma garantia de pagamento, Cormoran assume o caso e embarca em uma das investigações mais enfadonhas que já teve até perceber o óbvio, que o paradeiro do investigado só poderia ser o primeiro lugar sugerido por ele mesmo, mas descartado por Leonora, uma antiga casa que nunca era usada.

Ao finalmente se dirigir a casa com a quase certeza de que encontrará Owen Quine, o escritor desaparecido lá, Strike se depara com uma cena que nem mesmo seus anos de exército o preparam. Ele encontra sim o escritor, mas a verdadeira investigação vai começar a partir daí e mais uma vez Cormoran irá se embrenhar em um caso de grande publicidade, que contraria o parecer final da polícia e a opinião pública, com nada mais do que seus instintos e sua grande habilidade para observar atos e sentimentos humanos.


O que sempre gostei nos livros de Rowling foi a quantidade de detalhes e a forma como ela cria um mundo grande e complexo para seus personagens, porém simples e dinâmico para seus leitores. O Bicho-da-Seda também é assim e isso torna a leitura muito agradável! Os personagens principais continuam sendo o destaque da série e começo a fazer parte do fã clube para que acabem juntos, apesar de haver poucos indícios disso por enquanto. Outro ponto de destaque do livro é a originalidade do crime e o foco na motivação, com um final surpreendente, do jeitinho que um bom romance policial tem de ser.

A vida pessoal de Robin e Strike ainda é pouco trabalhada. Nesse livro o noivo da assistente aparece bastante, porém suas vidas continuam rondando somente o que diz respeito a seus trabalhos. Esperava conhecer mais dos personagens, mas esse aprofundamento ainda não aconteceu, talvez por ser uma série longa a autora preferiu deixar para outro momento.
Um outro ponto que não gostei é a fraca presença de Robin neste caso. Durante grande parte do livro ela fica em segundo plano, geralmente aparecendo devido a seus problemas de relacionamento com o noivo, mas muito pouco como investigadora. Diferentemente do primeiro livro onde ela é meio que uma Watson, cheio de sacadas inteligentes, nesse livro sua participação fica relegada ao final. Esperava um pouco mais da Robin!


Trechinhos:

“Owen era um homem largo, corpulento e pálido de uns sessenta anos, cabelo branco amarelado revolto e uma barba pontuda de Van Dyke. Parecia que os olhos tinham cores diferentes, o que conferia uma intensidade peculiar a seu olhar. Para a fotografia, ele se enrolara no que parecia uma capa estilo tirolês e usava um chapéu de feltro enfeitado com uma pena.”

“E Bombyx mori – concluiu Robin – é o nome latino do bicho-da-seda.
– O bicho-da-seda?
– É, e sabe do que mais? Sempre achei que fossem como aranhas tecendo suas teias, mas sabe como tiram a seda dos bichos?
– Nem desconfio.
– São fervidos – disse Robin. – Fervem os bichos vivos”

“Strike soubera por amigos em comum do exército que os pais de Gary Topley – morto na explosão que custou um membro a Strike – estariam entre os manifestantes, mas não ocorreu a Strike juntar-se a eles. Seus sentimentos pela guerra não podiam ser sintetizados em preto num cartaz branco e quadrado. Faça o trabalho e que seja bem-feito era seu credo na época e é agora, e marchar seria insinuar remorsos que ele não tinha. Assim, ele prendeu a prótese, vestiu o melhor terno italiano e foi para a Bond Street.”

“Eu não falei uma só palavra sobre o motivo – Strike lembrou a ela. – Por acaso, não sei qual foi o motivo, embora eu tenha algumas ideias. E se você quiser mais prova material, pode me ajudar a conseguir agora mesmo.
Ela o olhou com desconfiança. Em todo o tempo que trabalhou para ele, Strike nunca lhe pediu para coletar uma pista material.”

“– Então, você vai me ajudar a provar isto esta tarde – respondeu Strike a meia-voz. – Bom-dia – disse ele ao guarda, que não respondeu.
Strike parecia revigorado por sua teoria louca, mas se ele tivesse razão, por qualquer chance remota, pensou Robin, o crime teria feições grotescas muito além daquele cadáver estripado...”

J.K.Rowling (Robert Galbraith)
Conclusão:
Como se trata de uma série, não temos como prever se no final a história será tão boa quanto foram esses dois primeiros livros. Mas se analisarmos somente O Bicho-da-Seda então posso afirmar que esse é um dos melhores livros que já li no gênero suspense e policial.
Recomendo a todo mundo que gosta de uma boa história e que de quebra curte séries longas, afinal tudo indica que essa vai ser mais uma série memorável de J.K.Rowling.

Autor: Robert Galbraith (J.K.Rowling)
http://www.jkrowling.com/pt_BR/
Livro: O Bicho-da-Seda (The Silkworm)
Editora: Rocco (Hachette Book Group)
http://www.rocco.com.br/
http://www.hachettebookgroup.com/
Ano: 2014
Páginas: 464

Ler é Mais

Lorem ipsun