ADs

10 Dicas para Criar Pequenos Leitores

Dar o exemplo é a melhor forma de incentivar a leitura nas crianças.

Publicado por UOL e Livros Só Mudam Pessoas
Criar o gosto dos pequenos pela leitura nem sempre é uma tarefa fácil para os pais. Em meio a tantas tecnologias novas, as crianças recebem cada vez mais estímulos em outras direções, como televisão, computador e tablets. Conforme pesquisa desenvolvida pela Fundação Itaú Social em parceria com o Datafolha, 76% dos brasileiros acreditam que é muito importante incentivar o hábito da leitura. Os estímulos começam em casa e fazem parte do processo de educação da criança, lembra a professora de língua portuguesa Júlia Schmidt, da Escola Oga Mitá, do Rio de Janeiro. Confira dez dicas para transformar seu filho em um leitor.

Dar o exemplo
Pais leitores ainda são a melhor forma de incentivar à leitura. Muitas famílias cobram que as crianças sejam leitoras e os próprios pais não são leitores ávidos. “Se você espera essa postura do seu filho, você precisa dar o exemplo”, diz a professora de língua Portuguesa Júlia Schmidt, da Escola Oga Mitá, do Rio de Janeiro. A família que lê mostra à criança que ler é uma atividade agradável e positiva.

Leia para o seu filho
Não há idade certa para trazer a leitura para a vida dos pequenos. Desde ler para eles até acompanhar a compra de livros, a professora Júlia ressalta a importância da criação do costume dentro da família. “É muito importante que os pais leiam para os filhos, para criar esse hábito de leitura. Em algum momento do dia ou da semana, que aconteça algum momento de leitura. Contar histórias é motivar a criança com uma narrativa oral, depois ela procurará um livro de forma autônoma”, justifica.

Dê livros de presente
Você pode presentear livros de acordo com a faixa etária, com temas apropriados. A
professora e Pesquisadora da Universidade Estácio de Sá de Campos dos Goytacazes (RJ), Simone Viana, lembra que “hoje temos inúmeros autores que escrevem para esse público e também podemos aproveitar tudo que é oferecido pela mídia e trazer isso pra dentro de casa.”

Não restrinja a leitura
A professora Júlia lembra que é essencial não restringir a leitura dos pequenos, determinando qual tipo de livro deve ser lido. “É muito complicado e chega a ser cruel. Através da restrição, acabamos estabelecendo determinadas leituras.”
A pesquisadora em educação Simone recomenda que os livros infantis devem ter um vocabulário simples e sugere as fábulas como um bom tipo de leitura para quem está iniciando. “Assim, o leitor entra num imaginário infantil, reconstruindo seus valores. Produzindo releituras das fábulas antigas para o público infantojuvenil, os autores estão reescrevendo de uma maneira nova, inserindo a atualidade, contextualizando de acordo com a nossa realidade”.

Para os jovens, best sellers são boas opções
As sagas Jogos Vorazes (Suzanne Collins) e Percy Jackson e os Olimpianos (Rick Riordan) são algumas das indicações da professora. O primeiro é uma série de quatro livros que conta a história de Katniss Everdeen, uma adolescente que vive no mundo de Panem e participa dos Jogos Vorazes, uma competição transmitida pela televisão onde adolescentes lutam até a morte. A saga de Rick Riordan acompanha a vida de Percy Jackson, um menino problemático do século XXI que descobre ser filho de Poseidon, o deus grego. “Tenho alunos de 14 anos que leram toda a série Percy Jackson em um mês. São cinco livros, é bastante coisa. Por conta dessa leitura, eles descobriram a mitologia grega. Um aluno, de 14 anos, chegou a ler a “Odisseia” e “Ilíada”, de Homero, e produziu um trabalho de pesquisa extenso sobre a obra”, relembra.

Faça parte disso!
Participar da compra dos livros também é um processo importante, destaca a pesquisadora. Ela aconselha que os pequenos sejam levados às livrarias junto com os responsáveis. “É importante que ela tenha esse contato com o livro, que não veja o livro como um extraterrestre distante dela. Na livraria, a criança poderá escolher o que mais agrada, seja pela ilustração, pelas dobraduras, conforme a sensibilidade da criança”.

Saiba se a escola do seu filho incentiva a leitura
Dentro da escola, o trabalho continua. Simone acredita que o papel da escola é o de mediar o contato do aluno com o livro. “A escola tem um papel fundamental de grande mediação, de fazer com que a criança viva esse momento da leitura e que possa colocar isso em prática.”

Não há idade certa
Você pode tornar o seu filho um leitor em qualquer idade. Ao contar histórias, por exemplo, você motiva a criança a uma narrativa oral. “Ela vai preparar conselhos mitológicos e depois ela vai procurará um livro de forma autônoma”, comenta a professora Júlia.

Consuma cultura
O interesse pela cultura é essencial para se tornar um grande leitor, e assim, um exemplo para as crianças. A professora Júlia lembra que envolver os pequenos em atividades como cinema, peças de teatro e exposições criam um interesse que pode gerar uma leitura, como os filmes de Harry Potter podem levar a criança a ler os livros.

Ler é Mais

Lorem ipsun