ADs

Os Leitores Brasileiros Entrevistam Marie Lu

Autora da Trilogia Legend fala sobre seus livros, carreira e política.


Após escrever uma trilogia distópica, como ficou sua visão sobre as ações políticas contemporâneas? Você passou a ver o mundo de outra forma ou a interpretar atos políticos de maneira diferente ao entrar em contato com o governo da sua trilogia? (Antônio Augusto)
Não acho que comecei a ver o governo de maneira diferente depois da trilogia – embarquei na trilogia com uma ideia bem específica de como eu queria que o mundo fosse, então isso não mudou as minhas opiniões. Essencialmente, queria mostrar que não existe isso de utopia. Todos nós vivemos em nossas próprias distopias, e o único jeito de vencer é não fugir, mas mudar o seu próprio país para melhor.

Você disse que inicialmente a June seria um menino. Quanto isso mudaria da história? (Angélica Gomes)
Acho que algumas coisas poderiam continuar iguais, como a tensão e a dinâmica entre o Day e a June, mas acho que a história ficaria desbalanceada. June como mulher, para mim, realmente deixa o elenco feminino do livro balanceado como eu queria.

Como e quando você percebeu que seu destino era escrever e como isso afetou sua vida?
Percebi que queria ser escritora quando tinha 13 anos. Foi quando vi uma reportagem sobre uma menina chamada Amelia Atwater-Rhodes que teve seu primeiro livro publicado quando tinha a mesma idade. Lembro-me de ter pensado: “Uau, pessoas comuns escrevem livros – e ela tem a minha idade! Quero fazer isso.”

Veja todas as perguntas selecionadas no site da Editora Rocco.

Confira nossa resenha de Lengend Aqui.

Compre o livro aqui. Todos os três volumes já foram lançados, excelente distopia para ler do começo ao fim.

Ler é Mais

Lorem ipsun