ADs

Resenha (39) - Morte Súbita

Morte Súbita


Sinopse:
Quando Barry FairBrother morre inesperadamente aos quarenta e poucos anos, a pequena cidade de Pagford fica em estado de choque.
A aparência idílica do vilarejo, com uma praça de paralelepípedos e uma antiga abadia, esconde uma guerra.
Ricos em guerra com os pobres, adolescentes em guerra com seus pais, esposas em guerra com os maridos, professores em guerra com os alunos… Pagford não é o que parece ser à primeira vista.
A vaga deixada por Barry no conselho da paróquia logo se torna o catalisador para a maior guerra já vivida pelo vilarejo. Quem triunfará em uma eleição repleta de paixão, ambivalência e revelações inesperadas? Com muito humor negro, instigante e constantemente surpreendente, Morte Súbita é o primeiro livro para adultos de J.K. Rowling, autora de mais de 450 milhões de exemplares vendidos.

*********************************************************************************
Eu esperava mais desse livro. Talvez porque já tinha lido O Chamado do Cuco (clique aqui para ler a resenha) que é muito bom, um excelente romance policial, esperava que morte súbita seguisse a mesma linha ou uma trama parecida. A verdade é que são dois livros completamente diferentes e que inclusive parecem ter sido escritos por escritores diferentes, o que me faz pensar se o pseudônimo Robert Galbraith não é na verdade um alter ego da escritora inglesa.


A história não é ruim e o livro é bem escrito, sem grades falhas ou enrolações. Mas o que relamente me desagradou foi o ritmo da história, quase sem ação do começo ao fim e com um enredo baseado em fofocas e no cotidiano de uma pequena cidade.

Sem se parofundar em nenhum dos personagens nem eleger nenhum como protagonista, perdemos um pouco aquela sensação gostosa de torcer por alguém que nos afeiçoamos ou para que alguma coisa aconteça. Toda vez que nos interessamos por algo e ficamos na espera de que aconteça uma sequencia de fatos ou de que não aconteça, ficamos meio que decepcionados ao perceber que na verdade aquilo não vai dar em nada. Isso foi frustrante!

Mas se o livro está aqui é porque o achamos importante ou bom o suficiente para ser lido. E aqui não existe contradição, o livro vale a pena ser lido. Primeiro porque se trata do primeiro trabalho adulto de J. K. Rowling e como deve vir outra séria da autora por ai, vale ao menos folhear este livro. Em segundo lugar, o final compensa o marasmo da história. Tenho de confesar que foi um dos finais mais emocionantes que já li, não por se tratar de algo novo ou excepcionalmente criativo, mas pela crueza dos fatos e pela surpresa que me causou. Jamais ia esperar tal desenrolar dos fatos ou supor que as coisas que aconteceram iriam de fato acontecer.  São poucas páginas que na minha opinião salvaram o livro tornando-o digno de interesse. A sensação que fica é como aquelas músicas calmas, sem grande inovação, mas que acabam em um riff ou refrão arrebatador que te faz gostar dela.
*********************************************************************************
O que menos gostei neste livro foi a falta de um protagonista. Após terminar de ler voce pode pensar que na verdade havia um pela forma como o livro termina, mas acho que não. A idéia parece ter sido justamente essa, nenhum protagonista pois a comunidade e a forma como ela afeta a vida das pessoas é que é a protagonista. Pode ser costume meu ou simplesmente pode ser que não tenha ficado bom mesmo, mas isso de fato não me agradou.

O que mais gostei do livro foi evidentemente o final. Como disse antes é completamente inesperado mas ao mesmo tempo não é ‘forçado’, ele faz sentido, é real, e pode acontecer a todo momento em praticamente o mundo todo. Valeu a pena ir até o fim do livro.

*********************************************************************************
Trechinhos:

"Nascimento e morte: era a mesma consciência de existência iluminada e do destaque da sua própria importância. A notícia da morte de Barry Fairbrother jazia no seu colo como um bebê recém nascido rechonchudo a ser exibido para todos os seus conhecidos."

*********************************************************************************
"Uma vez, já há um certo tempo, Parminder contou a Barry a história de Bhai Kanhaiya, o herói sique que cuidava das necessidades dos feridos em combate, fossem eles amigos ou inimigos. Quando lhe perguntaram porque ele ajudava a todos indiscriminadamente, Bhai Kanhaiya respondeu que a luz de Deus brilha em todas as almas e que, por isso, ele não podia fazer distinção entre os homens. A luz de Deus brilha em todas as almas."

*********************************************************************************
"Escolher é algo perigoso: quando escolhemos, temos que abrir mão de todas as outras possibilidades."

*********************************************************************************
"O que era amor afinal?, pensou Parminder(...). O amor é quando alguém preenchia um espaço na sua vida, um espaço que ficava inteiramente vazio quando essa pessoa ia embora?"

*********************************************************************************
"Pois é incrível como se pode obscurecer uma questão emocional aparentando buscar a exatidão."

*********************************************************************************

Conclusão:
Acho que este livro passou um pouco longe do verdadeiro talento de J.K. Rowling porém ainda assim é um bom livro. Recomendado para quando quiser algo simples para ler.



Autor: J.K. Rowling
Livro: Morte Súbita (The Casual Vacancy).
Editora: Nova Fronteira (Little, Brown and Company)
Ano: 2012

Páginas: 504

Ler é Mais

Lorem ipsun