ADs

Resenha (37) - Destino

Destino

Sinopse:
Cassia tem absoluta confiança nas escolhas da Sociedade. Ter o destino definido pelo sistema é um preço pequeno a se pagar por uma vida tranquila e saudável, um emprego seguro e a certeza da escolha do companheiro perfeito para se formar uma família. Ela acaba de completar 17 anos e seu grande dia chegou: o Banquete do Par, o jantar oficial no qual será anunciado o nome de seu companheiro. Quando surge numa tela o rosto de seu amigo mais querido, Xander - bonito, inteligente, atencioso, íntimo dela há tantos anos -, tudo parece bom demais para ser verdade.Quando a tela se apaga, volta a se acender por um instante, revelando um outro rosto, e se apaga de novo, o mundo de certezas absolutas que ela conhecia parece se desfazer debaixo de seus pés. Agora, Cassia vê a Sociedade com novos olhos e é tomada por um inédito desejo de escolher. Escolher entre Xander e o sensível Ky, entre a segurança e o risco, entre a perfeição e a paixão. Entre a ordem estabelecida e a promessa de um novo mundo.

*********************************************************************************
Se pararmos para pensar, percebemos que é impressionante o número de livros onde em um futuro próximo, a população é dominada por ume estado opressor onde suas ações são controladas e vigiadas e sua liberdade quase nula.  O mais famoso é 1984 de Geroge Orwell mas há muitos outros não menos importantes.

Em destino é exatamente esse o cenário. Um mundo totalmente controlado pelo governo, aqui denominado sociedade, que escolhe o que você vai comer, o que vai estudar, como vai se divertir e até mesmo qual vai ser seu companheiro, ou par, para o resto da vida.

É justamente no momento em que Cássia vai finalmente conhecer o seu par que o mundo da sociedade começa a desmoronar diante de seus olhos. Uma falha no sistema faz com que outro rosto apareça no cartão com as informações de seu par e pela primeira vez a garota percebe que a sociedade não é perfeita e que ela comete erros, algo que ela nunca achou que pudesse acontecer.

Fatos que irão ocorrer em sequência fazem com que cássia reflita sobre sua vida e sobre o que a sociedade promete. Pela primeira vez ela racionaliza que pode existir um mundo diferente, que o que ela considera bom e apropriado é muito pouco e que no fundo todo mundo sonha em ser aquilo que querem ser, não somente o que dizem que são.

Para Cássia o destino começa a deixar de existir, mesmo que seja o destino cheio de número e estatísticas elaborado pela sociedade. Inspirada pelas palavras de seu avô, ela vai buscar, mesmo que de forma tímida e precavida, construir seu próprio destino e impor suas vontades.

*********************************************************************************
Como pontos positivos podemos citar o bom enredo criado pela Ally Condie que não deixou que a história se tornasse só mais um romance adolesncete. Os personagens são fortes, e a história consegue prender o leitor até o final do livro criando expectativa para a continuação do livro.

Só não gostei da forma como um dos protagonistas é meio que colocado de lado. Xander é o par de direito de Cassia mas ela parece começar a gostar de Ky e esses dois dominam toda a história deixando o Xander como mero coadjuvante. Vamos ver o que nos espera nos próximos  livros e se Xander terá um papel maior na história.

*********************************************************************************
Trechinhos;

"Rio de mim mesma, da minha imaginação boba. Pessoas não podem voar, embora, antes da sociedade existissem mitos sobre aqueles que podiam. Vi uma pintura delas, certa vez. Asas brancas, céu azul. círculos dourados sobre as cabeças, olhos voltados para o alto, surpresos, como se não conseguissem acreditar naquilo que o artista tinha pintado, como se não conseguissem acreditar que seus pés não tocavam o chão."

*********************************************************************************
"É estranho como nos agarramos a pedaçoes do passado enquanto aguardamos por nossos futuros."

*********************************************************************************
"- Fico feliz em te dar uma parte da minha vida - diz ele, e isso é tão gentil de se dizer, e ele diz com tanta bondade que eu repito. Apesar de ter quase 80 anos, apesar de seu corpo ter me parecido frágil mais cedo, ele me segura com força e mais uma vez, fico triste."

*********************************************************************************
"Os trabalhadores arrastam o tubo de incineração até uma das trilhas novas. As espinhas dos livros foram quebradas, seus ossos, finos e delicados, se esfarelaram. Os trabalhadores os enfiam no tubo de incineração. Pisam neles. Os ossos estalam sob as botas como folhas. Lembra o outono, quando a cidade manda o equipamento de incineração para nossos bairros e jogamos as folhas de bordo que caíram das árvores para dentro dos tubos."

********************************************************************************* "Aperfeiçoaram a arte de nos dar só a liberdade suficiente. Suficiente para que, quando estamos a ponto de morder, nos ofereçam um ossinho e então roemos, de barriga para cima, à vontade e saciados, como um cão que vi uma vez, ao visitar meus avós nos Campos."

*********************************************************************************
"É um equilíbrio delicado, dizer a verdade: o quanto dividir, o quanto guardar, que verdades ferem mas não arruinam, quais aquelas que criam feridas profunda demais para sarar."

*********************************************************************************
"Penso em como a melhor maneira de voar talvez seja com as mãos cheias de terra, para que a gente nunca esqueça de onde veio, e de como pode ser difícil caminhas às vezes.

*********************************************************************************
Conclusão:

É um ótimo livro. Ally Condie escreve com naturalidade como se realmente estivesse presenciando a história e criou um mudno mais do que imaginado e profetizado. A temática pós apocalipse rege a trama que é deliciosa de ler. Mais que recomendado e esperamos que a continuação seja tão boa quanto.


Autor: Ally Condie
http://allycondie.com/
Livro: Destino (Matched).
Editora: Suma de Letras (Dutton Juvenile)
http://www.us.penguingroup.com/static/pages/publishers/adult/dutton.html
Ano: 2011 (2010)

Páginas: 239

Ler é Mais

Lorem ipsun