ADs

Já Conhece a Vertigo?




Você já conhece a Vertigo? A Vertigo é um braço do grupo autêntica, um novo selo lançado com foco em romances policiais e que já chegou com tudo no mercado nacional.

Com o objetivo de apresentar ao leitor brasileiro romances pouco e nada conhecidos em território nacional, a editora já lançou 7 títulos e promete muito mais par 2014.

Os livros seguem três vertentes: romances de época, que nos levam de volta a Roma do Renascimento ou a Paris dos séculos XVIII e XIX, numa viagem repleta de enigmas e intrigas, com autores como Guillaume Prévost, Claude Izner e Jean-François Parot; romances policiais Scandi Crime, como pode ser chamada essa nova literatura escandinava, com autores como a finlandesa Leena Lehtolainen, o norueguês Gunnar Staalesen e a dupla dinamarquesa Lotte Hammer e Søren Hammer; e romances policiais de atmosfera, os “thrillers”, com seus mistérios e perseguições eletrizantes, de autores como Andrea H. Japp, Alexis Aubenque e Pierre Lemaitre. Cada um dos três sub-gêneros policiais serão identificados pelas cores das capas dos livros: O thriller, em laranja, o policial de época, com a frente vermelha, e o Scandi Crime, que possui as capas em azul.

Segundo o diretor executivo da Vertigo, Arnaud Vin, francês radicado no Brasil há cerca de 20 anos, “a Vertigo é uma coleção propositalmente diversificada, aberta e eclética, sem etiqueta nem rótulo, pensada para oferecer aos leitores ritmos diferentes, que os transporte a épocas, lugares e universos diversos. Uma coleção que tem várias cores e sabores”. Há desde romances que o leitor não vai conseguir parar de ler. Há os mais lentos, de atmosfera, que vão sendo desvendados aos poucos.

Vários autores são de editoras francesas como Albin Michel, Calmann-Lévy, Jean Claude Lattès ou Robert Laffond. Na França, só em 2012, foram lançados quase 2 mil títulos e vendidos mais de 16 milhões de romances policiais. Mas há também filandeses, noruegueses, dinamarqueses e islandeses. “Queremos ampliar ainda mais o prisma, oferecendo num futuro próximo obras da Espanha, Itália e Índia, ou mesmo do Chile e da Irlanda”, complementa Arnaud. “Todos com o mesmo ponto em comum: a qualidade”, sustenta.

Os livros da Vertigo terão formato 14 × 21 cm, entre 220 e 420 páginas e preços que variam de R$ 29,90 a R$ 39,90. Os primeiros títulos serão lançados na Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro: Sete dias em River Falls – Algumas garotas escondem terríveis segredos…, thriller policial do francês Alexis Aubenque, Os sete crimes de Roma – Roma, 1514. Leonardo da Vinci conduz a investigação…, policial de época escrito por Guillaume Prévost, cujo detetive é nada menos que Leonardo da Vinci, e Meu primeiro assassinato – Uma estreia de tirar o fôlego para Maria Kallio…, da finlandesa Leena Lehtolainen.



Sete dias em River Falls – Algumas garotas escondem terríveis segredos…
Autor: Alexis Aubenque | Tradução: Fernando Scheibe | 352 páginas
Sarah Kent é uma estudante brilhante e leva uma vida tranquila em meio à elite da universidade de River Falls, uma cidadezinha perto das Rochosas, no estado norte-americano de Washington. Mas tudo muda numa manhã de primavera: Amy Paich e Lucy Barton, as duas melhores amigas de Sarah em sua cidade natal, são encontradas no fundo de um lago, terrivelmente mutiladas. As duas não falavam mais com Sarah, mas tinham mandado um estranho convite para a amiga dois dias antes dessa tragédia.

A vida de Sarah se transforma num pesadelo. Seria ela a próxima vítima do assassino? A garota parece esconder um terrível segredo, como se um laço misterioso ainda a ligasse a Amy e Lucy… Mistérios que o xerife Mike Logan tentará resolver, com a ajuda de Jessica Hurley, sua ex-namorada e famosa profiler do FBI. Eles pensam estar na pista certa, mas seu adversário é perverso e os manipula com facilidade…

Sobre o autor – Alexis Aubenque nasceu em 1970, em Montpellier (França). Livreiro durante muitos anos e apaixonado por literatura fantástica e policial, estreou no gênero thriller em 2008, com este Sete dias em River Falls, o primeiro de uma trilogia, obra consagrada com o Prêmio Polar 2009, do Festival de Cognac.



Os sete crimes de Roma – Roma, 1514. Leonardo da Vinci conduz a investigação…
Autor: Guillaume Prévost | Tradução: Fernando Scheibe | 256 páginas 
Roma, dezembro de 1514. A poucos dias do Natal, o corpo decapitado de um jovem é descoberto em cima da estátua do imperador Marco Aurélio. Uma inscrição feita com sangue assina o crime: “Eum qui peccat… “ (“Aquele que peca…”). Pouco tempo depois, é a vez de um velho ser encontrado, morto e nu, pendurado numa escada no Fórum. A Coluna de Trajano revela seu fúnebre segredo e o restante da inscrição: “…Deus castigat” (“…Deus castiga”). A sangrenta encenação está apenas começando…

Instalado há pouco no Vaticano, ocupado com seus trabalhos de anatomia, pintura e ótica, Leonardo da Vinci se apaixona pelo caso. Como interpretar os lúgubres detalhes que cercam os crimes? O papa e a cristandade estariam sendo desafiados? Com a ajuda de Guido, um jovem estudante de Medicina, o pintor tenta desmascarar um assassino que demonstra tanto inteligência em desorientar as investigações quanto crueldade em executar suas vítimas.

Um romance policial diabólico que, dos mistérios da biblioteca do Vaticano aos segredos das ruínas antigas, nos arrebata num jogo de pistas eletrizante, erudito e macabro.

Sobre o autor – Guillaume Prévost nasceu em Madagascar, em 1964. Professor de História, é hoje um dos mais importantes escritores franceses do gênero policial histórico. Os sete crimes de Roma, publicado em 2000, é seu primeiro romance.



Meu primeiro assassinato – Uma estreia de tirar o fôlego para Maria Kallio…
Autora: Leena Letholainen | Tradução: Salma Saad | 224 páginas 
Este é o primeiro episódio das aventuras da inspetora Maria Kallio. Depois de alguns anos na polícia federal, onde a rotina de autuações e interrogatórios de pequenos delinquentes a entedia, Maria Kallio retoma seus estudos na faculdade de Direito. Mas sente falta da ação e acaba aceitando substituir um colega no departamento policial de Helsinque (Finlândia).

Assim começa sua primeira investigação criminal: um jovem, que passava um fim de semana na casa de seus pais em companhia de sete outros membros de um coral, é encontrado morto, afogado.

O culpado só pode ser alguém do grupo. Mas quem? Maria interroga um a um. Sua tarefa é árdua: ela conheceu a vítima e alguns dos suspeitos quando era estudante. E tem a mesma idade deles, o que não a torna muito convincente como inspetora neste caso. Além disso, todos tinham boas razões para detestar a vítima: um jovem rico, talentoso, bem-sucedido e conquistador…

Sobre a autora – Leena LEtholainen nasceu em 1964, em Vesanto, no centro da Finlândia. Autora de uma quinzena de romances, ficou conhecida em seu país pela criação da personagem Maria Kallio, heroína de oito de seus livros. Ganhadora de vários prêmios literários, Leena Lehtolainen é hoje traduzida em mais de vinte línguas.


Nascida em Agosto passado a Vertigo já conquistou esse blogueiro. Está esperando o que para esperimentar um exclente romance policial diferente do que está acostumado?

Em breve post com os novos lançamentos da editora. São 4 lançamentos saindo quentinhos do forno.

Ler é Mais

Lorem ipsun