ADs

Lançamentos da Semana da Companhia das Letras



Anatomia de um assassinato, de Philip Shenon. (Tradução de George Schlesinger, Jairo Arco e Flexa, Pedro Maia Soares, Pedro Sette-Câmara)
As circunstâncias do assassinato de John Kennedy e as motivações de seu autor, Lee Harvey Oswald, permanecem um dos capítulos mais controversos da história política americana. As conclusões supostamente definitivas foram registradas no relatório da Comissão Warren, designada pelo presidente Lyndon Johnson para conduzir as investigações. Mas muito ficou de fora desse texto. Não foi dito que Lee Oswald esteve na Cidade do México em setembro de 1963, dois meses antes do assassinato. Nem que, nesse período, visitou as embaixadas da União Soviética e de Cuba. Ou mesmo que teve uma amante na Cidade do México que trabalhava na Embaixada cubana e servia a Fidel. Essas são apenas algumas entre as muitas revelações deste livro. Por ele desfilam figuras vibrantes da história política moderna – Bobby Kennedy, Lyndon Johnson, J. Edgar Hoover, espiões da CIA, contraespiões do FBI -, num jogo de versões, interesses e pistas falsas de fazer inveja ao mais inventivo dos romancistas policiais.

Deixei o pum escapar, de Blandina Franco e José Carlos Lollo.Se você ainda não conhece o Pum, prepare-se: barulhento, fedido nos dias de chuva, ele está sempre no maior gás. Aliás, é exatamente por isso que um dia, depois que seu dono resolve soltá-lo no parque, ele dispara que nem um rojão e some sem deixar rastro. Todos ajudam nas buscas, mas sem sucesso! Para seu dono, a vida parece não fazer mais sentido. Coitado do Pum! Será que ele vai conseguir farejar o caminho de volta pra casa?

As falações de Flávio, de Rogério Trentini e Daniel AlmeidaSer humano é assim: cada qual com as suas manias. Alguns são agitados, outros vivem no mundo da Lua; tem uns bem quietinhos e outros que falam pelos cotovelos. Então, depois de tagarelar à beça sobre um certo garoto que trocava qualquer coisa por uma ideia mirabolante, em As invenções de Ivo, Rogério Trentini e Daniel Almeida voltam, com seus versos rimados e ilustrações divertidas, para contar um pouco sobre a vida de falastrão do Flávio, que “Às vezes se embanana e fala muita abobrinha. Às vezes fala tanto que escapa até uma mentirinha”!

A eclosão do twitter, de Nick Bilton. (Tradução de Elvira Serapicos)
Em 2005, a Odeo era uma start-up de tecnologia fundada por Noah Glass e tocada por um grupo heterogêneo de hackers anarquistas. Menos de dois anos depois, seus dias estavam contados e metade da equipe já havia sido demitida. Mas, em meio às cinzas da Odeo, aqueles que restaram passaram a trabalhar em um projeto paralelo – que, em 2013, se transformaria em um negócio de 11,5 bilhões de dólares. Essa parte é conhecida da história. Mas a narrativa completa sobre a eclosão do Twitter nunca foi contada. É uma aventura envolvendo dinheiro, amizades, traições e uma luta obsessiva pelo poder. Enquanto seus fundadores passavam de engenheiros de programação comuns a celebridades endinheiradas – estampando capas de revistas e jornais, aparecendo em programas de televisão e figurando na lista das cem pessoas mais influentes do mundo da revista Time -, uma trama perversa se desenvolvia nos bastidores.

Ler é Mais

Lorem ipsun