ADs

Resenha (20) - Trilogia da Fundação

Trilogia da Fundação

Sinopse:
       Trilogia da Fundação ‘Fundação’, ‘Fundação e Império’ e ‘Segunda Fundação’ —, foram eleitos, em 1966, a melhor série de ficção científica e fantasia de todos os tempos, superando concorrentes de peso como O Senhor dos Anéis, de J. R. R. Tolkien. A trilogia conta a história da humanidade, em um ponto distante no futuro, no qual o visionário cientista Hari Seldon prevê a destruição total do império humano e de todo o conhecimento acumulado por milênios. Incapaz de impedir a tragédia, ele arquiteta um plano ousado, no qual é possível reconstruir a glória dos homens. Se tudo correr como planejado.
*********************************************************************************                                                                                                                               
       Apesar de ser fascinado pelo gênero costumo assistir muito mais do que ler obras de ficção cientifica.  Não me lembro de muitos títulos que possa citar sobre o assunto, portanto foi uma grande surpresa encontrar uma obra tão completa e tão significativa escrita ha muito tempo, em uma época em que o computador era um mero sonho de um ou outro louco.

       Na historia, um renomado sociólogo e matemático prevê a queda do império galáctico e consequentemente a destruição da humanidade. Ele propõe que os maiores físicos e pensadores da época sejam enviados a dois cantos isolados do universo para se desenvolverem e para que no futuro, para ser mais exato 1.000 anos, um novo império renasça fazendo assim com que a humanidade seja salva de centenas de anos de sofrimento, caso seu plano não seja colocado para funcionar. Os governantes do império aceitam suas provas irrefutáveis e os enviam para iniciar as bases do futuro novo império e a este planeta se da o nome de fundação, ou primeira fundação.

       A consolidação da fundação e narrada no primeiro livro da trilogia, denominado fundação. Através de 5 contos diferentes acompanhamos o inicio da fundação com 5 classes diferentes do novo império e em passagens de tempo diferentes. Os psicohistoriadores e o primeiro conto e narra como Hari Seldon convenceu a comissão do império a financiar a missão por ele vislumbrada através da psico-historia (pode-se chamar psico-historia de algo parecido com uma sociologia matemática). O segundo conto, os enciclopedistas, narra os primeiros 50 anos da missão no planeta terminus, futura capital da fundação. O terceiro conto, os prefeitos, ocorre tre décadas apos os enciclopedistas e narra a primeira das crises Seldon(períodos de dificuldades previstos por Seldon). O quarto conto, os comerciantes, narra a forma de controle econômico exercida pelo comercio da fundação. O quinto conto narra a primeira grande guerra da fundação com o apoio dos príncipes mercantis.

       O segundo livro e dividido entre o General e o Mulo. Na primeira parte do livro o decadente império galáctico declara guerra a fundação.  Na segunda parte do livro um inimigo muito mais forte e perigoso ira aparecer e colocar em perigo todo o plano de Seldon e o futuro da humanidade.

       O terceiro e ultimo livro narra o confronto final entre o mulo e a segunda fundação. Esquecida ate então uma caçada pela descoberta da segunda fundação começa. Agora ameaçada, a segunda fundação vai retaliar e se defender da melhor forma que ira conseguir.
       Os livros são fantásticos. A história e muito bem escrita e inteligente e as invenções que Isaac Asimov inventa, sem nunca ter visto um computador funcional na vida, são excelentes. A psico-historia que Hari Seldon utiliza para prever os acontecimentos e o complicado sistema de governo e politica interplanetária   

Pontos positivos:
  • É um clássico em seu gênero.
  • Considerado uma obra prima.
  • As tecnologias inventadas são uma diversão a parte.
  • Interessante como forma de observação do pensamento antigo quanto ao futuro.
  • Mundo bem construído e trama envolvente.



Pontos negativos:
  • A história não é linear, pode causar confusão.
  • Algumas invenções podem parecer estranhas para o mundo atual.
  • Falta um personagem principal. A história não se baseia em um protagonista.


Trechinhos:
*****************************************************************************
“Jamais conseguiu se tornar o mundo indiferente de prazer que fora, pois a fascinação do poder nunca larga sua presa.”
*****************************************************************************
“O ser humano individual é imprevisível, porém as reações das multidões humanas, descobriu Seldon, podem ser tratadas estatisticamente. Quanto maior a multidão, tanto maior a precisão que pode conseguir-se.”
*****************************************************************************
“Lidamos aqui com psicólogos, mas não meramente psicólogos, digamos de preferecia cientistas com uma orientação psicológica, isto é, homens cuja concepção fundamental da filosofia cientifica está apontada para uma direção inteiramente diferente de todas as orientações que conhecemos .”
*****************************************************************************
“Nunca permitam que o sentido de moralidade impeça de fazer o que é justo.”
*****************************************************************************
“A síntese do cálculo de n- variáveis e de n-geometria dmensional é a base do que Seldon chamou uma vez “a minha pequena álgebra da humanidade . . .”
*****************************************************************************
“A gratidão é melhor e mais real quando não se evapora em frases vazias.”
*****************************************************************************
“A morte, venerando senhor, é um fenômeno tão irrevogável, que para ele deve haver qualquer opção.”
*****************************************************************************
“Era criancice sentir-se desiludido, mas sentir-se criança num homem é quase natural.”
*****************************************************************************
  
Conclusão:
Clássico é clássico. Nenhum livro se torna um fenômeno de vendas ou crítica se não tiver algo a apresentar e com certeza os livros de Asimov não fogem a essa regra. Aquele que não ler, vai perder a chance de experimentar horas de uma leitura prazerosa em companhia de naves estelares e através de galáxias distantes.


Autor: Isaac Asimov
Livro: Trilogia da Fundação – Fundação, Fundação e Império, Segunda Fundação (Foundation, Foundation and Empire, Second Foundation)
Editora: Editora Aleph (Gnome Press)
Ano: 1951, 1952 e 1953.

“Aproveitem o relançamento da trilogia pela Editora Aleph http://www.editoraaleph.com.br/site/ficcao/trilogia-da-fundac-o-box.html

"Posteriormente foram lançados mais quatro livros sobre o mesmo universo que transformam essa trilogia em uma série de 7 livros."

Ler é Mais

Lorem ipsun