ADs

Resenha (3) - A Revolução dos Bichos


Sinopse:
Escrita em plena Segunda Guerra Mundial e publicada em 1945 depois de ter sido rejeitada por várias editoras, essa pequena narrativa causou desconforto ao satirizar ferozmente a ditadura stalinista numa época em que os soviéticos ainda eram aliados do Ocidente na luta contra o eixo nazifascista.
De fato, são claras as referências: o despótico Napoleão seria Stálin, o banido Bola-de-Neve seria Trotsky, e os eventos políticos - expurgos, instituição de um estado policial, deturpação tendenciosa da História - mimetizam os que estavam em curso na União Soviética.
Com o acirramento da Guerra Fria, as mesmas razões que causaram constrangimento na época de sua publicação levaram A revolução dos bichos a ser amplamente usada pelo Ocidente nas décadas seguintes como arma ideológica contra o comunismo. O próprio Orwell, adepto do socialismo e inimigo de qualquer forma de manipulação política, sentiu-se incomodado com a utilização de sua fábula como panfeto.
Depois das profundas transformações políticas que mudaram a fisionomia do planeta nas últimas décadas, a pequena obra-prima de Orwell pode ser vista sem o viés ideológico reducionista. Mais de sessenta anos depois de escrita, ela mantém o viço e o brilho de uma alegoria perene sobre as fraquezas humanas que levam à corrosão dos grandes projetos de revolução política. É irônico que o escritor, para fazer esse retrato cruel da humanidade, tenha recorrido aos animais como personagens. De certo modo, a inteligência política que humaniza seus bichos é a mesma que animaliza os omens.
Escrito com perfeito domínio da narrativa, atenção às minúcias e extraordinária capacidade de criação de personagens e situações, A revolução dos bichos combina de maneira feliz duas ricas tradições literárias: a das fábulas morais, que remontam a Esopo, e a da sátira política, que teve talvez em Jonathan Swift seu representante máximo.

Este é um clássico. Leitura obrigatória para qualquer pessoa, este livro retrata, através de uma fábula, algumas realidades do comportamento humano quando vivemos em sociedade.
A mensagem é facilmente perceptível durante a leitura da história, que é envolvente e de leitura simples. Com sutileza e sabedoria, o escritor George Orwell nos leva a refletir sobre o comportamento humano e o controle de massas. Outra mensagem que está clara é como somos facilmente corrompidos pelo poder.

Mais do que isso, o livro tem caráter de certa forma político, pois é facilmente associado a uma crítica direta ao comunismo que na época ganhava adeptos nos quatro cantos do mundo. De forma bastante direta, o autor nos deixa claro que devido a própria natureza do ser humano é utópico pensar em igualdade de direitos, de deveres e de ganhos. Que sempre haverá pessoas que irão buscar o controle, que irão almejar o poder e que serão bem-sucedidas em sua busca, pois sempre existirá números muito maiores de pessoas crédulas que irão acreditar no novo sistema e ignorar os fatos de que este não é o sonho desejado e que, quando perceberem seu erro, os outros serão poderosos demais para que alguma coisa seja feita.

Este foi o primeiro livro que li, quando tinha entre 6 e 8 anos de idade e mesmo muito jovem percebi a maior parte da mensagem que o livro trazia. Esta mensagem carreguei para toda a vida e me ajudou a formar minha opinião sobre o mundo e os seres humanos. E por esta razão, recomendo este livro a todas as crianças que estão começando a trocar a leitura infantil por algo um pouco mais complexo pois, o fato de ser uma fábula com animais, de ser um livro curto e de leitura simples, faz com que apesar de ter uma grande reflexão por trás da história não torne esta cansativa ao púbico mais jovem. Os pais podem ainda ajudar seus filhos a refletirem sobre a história, pontuando suas próprias opiniões e ajudando na construção do caráter dos pequenos.

A história, como já disse, é uma fábula. Esta ocorre em uma fazenda onde os animais resolvem se revoltar e tomar posse dos bens de seu dono. A partir daí diversas discussões sobre a melhor forma de agir, de gerenciar a fazenda, de como será a vida dos animais a partir deste momento, de como será o governo e tudo o mais passam a ocorrer. O desfecho da história é praticamente um tapa na sociedade moderna, pois reflete o que ocorre no dia –a-dia não somente em meados da década de 40, quando o livro foi escrito, mas até os dias de hoje.


Pontos positivos:
Um clássico.
Considerado um dos livros mais importantes já escritos.
Best-Seller mundial.
História simples.
Mensagens fortes e bem construídas.
Enredo envolvente.
Livro curto mas que não deixa faltar nada.

Pontos negativos:
Por ser uma fábula, pode não agradar os adeptos de outros gêneros.
Algumas pessoas podem não entender a mensagem da história.



Trechinhos:

"E lembrai-vos, camaradas, jamais deixai fraquejar vossa decisão. Nenhum argumento vos poderá desviar. Fechai os ouvidos quando vos disserem que o Homem e os animais têm interesses comuns, que a prosperidade de um é a prosperidade dos outros. É tudo mentira. O Homem não busca interesses que não os dele próprio. Que haja entre nós, animais, uma perfeita unidade, uma perfeita camaradagem na luta. Todos os homens são inimigos, todos os animais são camaradas."

“E assim, antes de perceberem o que sucedera, a Revolução estava feita. Jones fora expulso e a Granja do Solar era deles. Durante os primeiros cinco minutos, os animais mal puderam acreditar na sorte. Seu primeiro ato foi galopar pelos limites da granja, como para verificar se nenhum ser humano ficara escondido; depois correram de volta às casas da granja, para varrer os últimos vestígios do odiado império de Jones.”

"Doze vozes gritavam, cheias de ódio, e eram todos iguais. Não havia dúvida, agora, quanto ao que sucedera à fisionomia dos porcos. As criaturas de fora olhavam de um porco para um homem, de um homem para um porco e de um porco para um  homem outra vez; mas já se tornara impossível distinguir, quem era homem, quem era porco.”

"Todos os animais são iguais, mas alguns são mais iguais do que outros."

"Quanto aos outros, sua vida, ao que sabiam, continuava a mesma. Geralmente, andavam com fome, dormiam em camas de palha, bebiam água no açude e trabalhavam no campo; no inverno, sofriam com o frio; no verão, com as moscas. De vez em quando, os mais idosos rebuscavam a apagada memória e tentavam determinar se nos primeiros dias de rebelião, logo após a expulsão de Jones, as coisas tinham sido melhores ou piores que agora."
George Orwell
Conclusão:
Clássico é clássico. Um livro ruim não se torna famoso ou respeitado no mundo todo. Somente isso já é um bom motivo ao menos para ser curioso sobre este livro. Leitura obrigatória para qualquer pessoa de todas as idades, principalmente os jovens.

Autor: George Orwell.
Livro: A Revolução dos Bichos (Animal Farm).
Editora: Companhia das Letras.
Ano: 1945.

Ler é Mais

Lorem ipsun