ADs

Resenha (100) - A Seleção


Sinopse:
Nem todas as garotas querem ser princesas. America Singer, por exemplo, tem uma vida perfeitamente razoável, e se pudesse mudar alguma coisa nela desejaria ter um pouquinho mais de dinheiro e poder revelar seu namoro secreto.
Um dia, America topa se inscrever na Seleção só para agradar a mãe, certa de que não será sorteada para participar da competição em que o príncipe escolherá sua futura esposa.
Mas é claro que seu nome aparece na lista das Selecionadas, e depois disso sua vida nunca mais será a mesma...

A Seleção é o primeiro volume da série homônima escrita pela autora americana Kiera Cass e já vendeu mais de 3.5 milhões de cópias no mundo todo, um belo feito para um livro lançado a apenas 4 anos atrás.

O livro é categorizado como uma distopia para jovens adultos e pegou carona na onde criada por Jogos Vorazes e Divergente, apesar de seguir uma linha mais romantizada e menos focada na politica de governos opressores. É claro que também vamos ver um governo mais ou menos opressor e algumas mentiras dos poderosos, mas o foco aqui é o romance.

A história em si, não tem nada de muito diferente do que estamos acostumados a ver no inflado mercado de livros distópicos para jovens. Temos uma garota inexperiente e insegura como protagonista, um cara poderoso e rico no papel de mocinho (Um príncipe na verdade), um outro cara para deixar a garota inexperiente e insegura também confusa e dividida e um cenário mais menos violento para dar um toque de suspense. Então porque esse livro merece uma resenha se é tão comum? Porque ele é extremamente divertido de ler!

Apesar de seguir a formula do sucesso, Kiera Cass tem um verdadeiro dom para a escrita. A história flui com facilidade. Mesmo nas partes onde a protagonista age como uma idiota, não parece forçado, parece mais como alguém que narra às próprias besteiras que fez e nós lemos como se fossemos o melhor amigo dos personagens enquanto eles narram sua aventura. Essa sensibilidade na escrita da autora fez com que um livro claramente comercial, tivesse uma história interessante, diferente e original, capaz de prender o leitor com facilidade em um livro para ler em um dia só de uma só vez! Se você acha que ‘A Seleção’ é só mais um livrinho YA igual a todos os outros, vai se surpreender muito quando terminar de ler.

A história gira em torno de America Singer uma habitante do país Illéa, conhecido antigamente como Estados Unidos, que decide participar da seleção para a nova princesa de Illéa, evento onde o príncipe, Maxon Schereave, escolhe sua esposa entre 35 candidatas.

Illéa é dividida por castas sociais, que definem a condição social de cada morador e também os trabalhos que estes irão executar. América e sua família fazem parte da Casta 5, a classe dos artistas e mal possuem o suficiente para se manterem, mas poderia ser pior é claro. E é justamente a posição social de América que faz com que sua mãe praticamente a obrigue a participar do concurso. E para sua surpresa e consternação, ela é uma das 35 escolhidas para ir viver no palácio por tempo indeterminado.

Ela se convence de que está lá apenas pela comida e mantém seu coração dirigido a Aspen, seu primeiro namorado. Mas com o passar dos dias acaba conhecendo o verdadeiro Maxon por trás do príncipe e toda a sua determinação começa a abandoná-la. Ela nunca quis ser da realeza, estava feliz com sua condição e seu namorado de uma classe inferior, nunca deu a mínima para política e tinha pavor da corte. Mas o destino fez com que o príncipe focasse suas atenções justamente nela e tudo aquilo que ela nunca se permitiu desejar pode estar ao seu alcance, desde que ela sobreviva até o final da Seleção.


Gostei da história como um todo, não consigo pensar no que mais gostei porque se analiso as partes separadas, volta a parecer só mais um romance YA. Essa é a mágica desse livro, uma história que tinha tudo para ser ‘só mais uma’ acaba se mostrando algo especial e eu adorei isso!

O foco é muito em cima da America nesse primeiro livro e senti falta de um aprofundamento maior nos outros personagens. E definitivamente não gostei do tal do Aspen! Também senti falta de um pouco mais de ação, mas aparentemente as coisas ficam mais animadas nos próximos livros.


Trechinhos:
"- Eu devia saber que se umas das garotas fosse desobedecer a uma ordem seria você."

“(...) A ideia de entrar em um concurso que o país inteiro acompanharia só para ver um riquinho esnobe escolher a moça mais linda e sonsa do grupo para ser o rosto calado e bonito que apareceria ao lado dele na TV... era o bastante para me fazer gritar. Haveria humilhação maior?”

" - Se o assunto fosse simples, já teria eliminado todas as outras. Sei o que sinto por você. Talvez seja impulso da minha parte ter tanta certeza, mas estou certo de que seria feliz com você."

“Olhei-me no espelho. Ainda parecia ser eu mesma. Era a versão mais linda de mim que já vira, mas eu reconhecia aquele rosto. Desde que meu nome fora sorteada, temia me tornar irreconhecível, um ser tão recoberto por camadas de maquiagem e atulhado de jóias que eu teria que cavar por semanas até encontrar a mim mesma. Por ora, eu ainda era America.”

“Descobri que não me importava de ser beijada por ele.
Sim, eu ainda sentia algo por Aspen. Não podia desfazer isso. Mas se não podia tê-lo, o que me impedia de ficar com Maxon? Nada além de meus preconceitos, todos bem distantes na verdade."

“- Não sou burro o bastante para crer que você esqueceu seu antigo namorado. Sei pelo que vocês passaram e que as circunstâncias aqui não são exatamente normais. Sei que você acha que há moças aqui mais adequadas para mim e para a vida no palácio. Não quero me apressar e tentar ser feliz com qualquer uma. Eu só …só quero saber se é possível…
- Sim,Maxon – sussurrei. – É possível.”


Kiera Cass
Conclusão:
O sucesso de A Seleção não é inventado. A história tem seus méritos e merece toda a fama que lhe foi atribuída. Os ingredientes podem ser os mesmos usados para todos os romances distópicos com foco no público YA, mas a autora conseguiu criar um livro especial mesmo assim! Se manter o mesmo ritmo, sem dúvida a série vai ganhar um cantinho especial em minha estante.

Autora: Kiera Cass
http://www.kieracass.com/
Livro: A Seleção (The Selection)
Editora: Seguinte (Harper Collins)
Ano: 2012
Páginas: 368

Ler é Mais

Lorem ipsun