ADs

Resenha (92) - As Aventuras do Caça-Feitiços - A Maldição

As Aventuras do Caça-Feitiços - A Maldição

Sinopse:
O Caça-feitiço e seu aprendiz, Thomas Ward, se preparam para a maior batalha de suas vidas e seguem numa missão para um combate infernal. Desta vez, o inimigo é O Flagelo, uma criatura diabólica que se esconde no fundo das catacumbas da catedral. Todo o Condado corre o risco de ser corrompido por seus sinistros poderes.
Mas surgem terríveis surpresas, e Tom e seu mestre descobrem que O Flagelo não é seu único inimigo e o desafio que os espera é bem maior. Como eles vão conseguir sobreviver a este horror?
Quem está em busca de magia, mistério e fantasia vai encontrar tudo isso e mais outros segredos perigosamente assustadores em A maldição.

Este é o segundo livro da série As Aventuras do Caça-Feitiços portanto, se não leu o primeiro livro fique sabendo que logo abaixo tem spoiler. Se preferir clique aqui e leia nossa resenha do primeiro livro.

Em A Maldição o autor segue a mesma cadência que me encantou no primeiro livro. Continua apostando no simples, na força que uma história incrível contada da forma certa tem em cativar e prender a atenção daqueles que ouvem, ou neste caso, lêem.

Joseph delaney não criou um univero muito grande com inumeros detalhes e centenas de personagens. Seus livros tb nao trazem um mapa na primeira página, como parece ser a regra dos livros de fantasia de hoje em dia. A linguagem com a qual ele se comunica com o leitor, apesar da temática juvenil da história, nao pretende ser cool, descolada ou jovem. Delaney se preocupa em contar uma história interessante e envolvente e é isso que torna O Caça-Feitiços uma história especial.

Destaque para a capa que tem detalhes envelhecidos  que passam a impressão de couro velho. Ela é muito similar a primeira no formato e nos materiais, mas essa vermelha, de todas as que vi, é uma de minhas favoritas.

A história continua seis meses após os acontecimentos do primeiro livro. Tom está atolado de trabalho como aprendiz do Sr. Gregory e logo no começo percebemos a evolução dele como caça-feitiços, pois está prestes a por fim em um ogro dos mais perigosos e que inclusive já provou sangue humano, o que o torna uma ameaça poderosa.

Porém as rotinas de mestre e aprendiz são interrompidas quando o Sr. Gregory recebe a noticia de que seu irmão faleceu. Sem outra opção, eles vão até a cidade de Priestown para acompanhar o enterro, porém, parece que o destino fez com que diversos caminhos se cruzassem nessa cidade.

Logo ao chegarem eles ficam sabendo que um poderoso Inquisidor está na cidade e que suas vidas correm perigo caso ele sejam vistos, afinal para o inquisidor e toda a classe religiosa, eles são tão perigosos combatendo as trevas quanto os próprios seres que a habitam. Para piorar, uma execução em massa é agendada e entre os condenados está Alice, que não tem nenhuma chance de escapar sem ajuda.

E não para por ai! O Sr. Gregory vinha evitando a cidade há anos devido a uma maldição que afirmava que ele iria morrer lá pelas mãos do Flagelo, um mostro poderoso que foi aprisionado muitos anos atrás pelo Povo Pequeno, mas que vem aos poucos ganhando força, e se chegar a plenitude do poder pode resultar em danos inimagináveis, que nem o mais forte dos caça-feitiços seria capaz de lidar.


Gostei da evolução dos personagens e da forma como o Sr. Gregory se apresenta mais humano e menos misterioso nesse segundo livro. Na história sabemos um pouco sobre sua infância e também sobre a infância da mãe de Thomas, o que foi ótimo para o desenvolvimento da trama e agradou bastante nesse segundo livro.

Em A Maldição desagradou um pouco à ausência de Alice. Ela é um personagem até melhor que o Tom no primeiro livro, mas nesse é colocada de escanteio e aparece somente no final. Foi uma manobra para inseri-la na história, que não tinha muita ligação com ela além da prisão, mas mesmo assim poderia ter aparecido um pouco mais, apensar de ser muito importante no final.


Trechinhos:

“Uma grande letra grega – beta –, cortada por uma diagonal, era o sinal de que um ogro fora enterrado ali. Abaixo, à direita, o número um em algarismo romano indicava que era um ogro perigoso de primeira grandeza. Havia dez grandezas ao todo, e os ogros entre a primeira e a quarta eram capazes de matar ”

“– Sangue?
– Do sangue de animais, e de seres humanos. Tem uma sede espantosa. Mas, felizmente, ao contrário do estripa-reses, não pode tirar sangue de um ser humano a não ser que este lhe doa voluntariamente...”

“Seu rosto estava bonito como sempre, porém mais magro e mais velho, como se tivesse presenciado coisas que a forçaram a amadurecer depressa; coisas que ninguém deveria ser obrigado a ver. Seus cabelos negros estavam embaraçados e imundos e havia manchas de sujeira em seu rosto. Alice parecia que não se lavava havia um mês”

“Eu ia protestar, mas quase imediatamente a dor começou a diminuir. Era um remédio ensinado a Alice por uma feiticeira. Um remédio que dava resultado. Os caminhos do mundo eram estranhos. Do mal podia vir o bem.”

Joseph Delaney
Conclusão:
A série é muito longa e não dá ainda para falar com certeza sobre a qualidade da história ou sai tecendo elogios, mas se o autor manteve a mesma pegada em todos os livros então não tenho dúvidas de que esta série irá se mostrar uma das melhores já escrita no mundo todo.

Autor: Joseph Delaney
Livro: A Maldição (The Spook’s Curse)
Editora: Bertrand Brasil (Random House)
Ano: 2012 (2005)
Páginas: 288

Ler é Mais

Lorem ipsun