ADs

Lançamentos de Abril da Gryphus

Cinema ou Sardinha 3 - E A Aventura Continua - Guillermo Cabrera Infante
O cubano Guillermo Cabrera Infante nunca teve dúvidas quando sua mãe perguntava na infância se ele preferia ir ao cinema ou comer sardinha. A fome pelos filmes sempre foi maior e o levou a se tornar um dos mais celebrados escritor, roteirista e crítico de cinema do mundo. Toda a paixão de Cabrera pela sétima arte pode ser conferida na terceira parte de Cinema ou Sardinha, que ganha o subtítulo de E a aventura continua, e está sendo lançado pela Gryphus Editora.
Dando continuidade às duas primeiras partes, este livro é uma verdadeira aula, onde o autor transportou para o papel todos os pensamentos sobre o cinema, num processo, na maior parte das vezes, inverso ao do que costuma acontecer. É o cinema inspirando a literatura.
Nas páginas da coletânea, está reunido o melhor de Cabrera Infante, um memorialista, fã de filmes, capaz de misturar vida e ficção com um olhar, às vezes suave, sempre irônico, de alguém que não concebe um mundo sem cinema. Com capítulos curtos e tradução de Gilson B. Soares, o autor lembra com bom humor das principais personagens do cinema, reunindo histórias memoráveis de nomes como Groucho Marx, Brian de Palma, James Mason, William Holden, Hitchcock, James Cameron, Harrison Ford e Sharon Stone, tanto dentro quanto fora das telas.

Como Escrever Humor 2 - Mel Helitzer
Com texto dos respeitados autores americanos Mel Helitzer e Mark Shatz, a Gryphus Editora lança a segunda parte de Como escrever humor. A primeira parte foi lançada em 2014 e contém dicas, teorias e conselhos (imperdíveis) para quem deseja se tornar um redator de humor. Esta segunda parte abrange a redação de humor para mercados específicos.
Os capítulos são divididos por nomes sugestivos como Testando: um, dois, três: redigindo discursos com humor, Humor ao vivo: comédia em pé sem ser um pé no saco, Piadas que passam uma boa imagem: o humor dos cartuns e dos Cartões e A máquina de gargalhadas: escrevendo para programas de TV.
Entre os textos, há citações de uma legião de comediantes contemporâneos, que conseguiram papéis lucrativos no cinema e na televisão. Entre os astros que iniciaram a carreira com humor estão Robin Williams, Chris Rock, Billy Crystal, Steve Martin, Eddie Murphy, Rosie O´Donnell e Jerry Seinfeld. Outros exemplos são David Letterman, Conan O´Brien e Garry Shandling que, antes de conseguirem seus próprios shows, foram redatores de outros programas de TV.
Segundo os autores, existem seis ingredientes essenciais em qualquer receita de humor: alvo, exagero, hostilidade, emoção, realismo e surpresa. A ausência de qualquer um deles desanda a receita e faz o humor murchar como um suflê, comentam Mel Helitzer e Mark Shatz, que acrescentam:
Os humoristas têm uma regra sagrada: não se iniba. É melhor assumir uma atitude niilista em relação a temas delicados do que ficar pisando em ovos diante dos tabus. Ao escrever, faça-o livremente. Elabore suposições desinibidas. A edição e a autocrítica são o segundo e terceiro passo... nunca o primeiro!, sugerem.
Sobre a capacidade de se aprender a escrever humor, eles garantem que, embora alguns indivíduos sejam naturalmente mais engraçados do que outros (assim como algumas pessoas são mais atléticas ou musicalmente mais talentosas), a redação pode ser ensinada e a habilidade para escrever pode ser adquirida. A comédia não é um mistério.

Ler é Mais

Lorem ipsun