ADs

Resenha (54) - Se Eu ficar

Se Eu Ficar

Sinopse:
Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais – mas não sente nada. Tudo o que ela pode fazer é assistir ao esforço dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera... e o seu amor luta para ficar perto dela. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente – e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas.

Cenas do Filme - Adam e Mia
Se eu ficar foi uma leitura prazerosa como a muito não encontrava. Um livro curto, porém com uma boa história quase impossível de largar.

O primeiro contato com o livro não foi exatamente com o livro, foi com o trailer do filme, que assisti por acaso enquanto aguardava o inicio de outro filme no cinema. Gostei muito do tal trailer e acabei descobrindo que o filme era baseado em um livro da escritora americana Gayle Forman, aliás, a autora é Best-Seller em quase tudo que escreve e vou buscar novas histórias escritas por ela.

A obra é um drama jovem, porém tanto a história quanto os personagens não seguem o estereótipo literário que muitos autores costumam colocar os jovens. Mia, a protagonista, é bem real e muito bem construída. Seus dramas particulares e a forma como eles estão amarrados aos das pessoas ao seu redor foram muito bem desenvolvidos e a leitura flui com facilidade. Quando você menos espera terminou o livro e fica com a sensação de que acabou de ter em mãos algo muito bom e de que quer mais!

Com uma escrita simples, de temática jovem, porém madura, a autora nos leva a uma narrativa forte e envolvente sempre na primeira pessoa da protagonista do livro. Desafio qualquer leitor a não se emocionar nem um pouquinho logo nas primeiras 50 páginas do livro enquanto acompanha a saga de Mia na escolha mais difícil de sua vida.


Antes que me xinguem dizendo que falei muito spoiler, tudo que escrevi abaixo acontece logo no começo do livro, portanto, apesar de contar algumas coisas, só fiz uma pequena introdução a história.

O livro começa contando o ambiente familiar de Mia. Conhecemos seu pai, um ex-roqueiro que abandonou sua carreira de músico para se dedicar a família e acabou se tornando professor. Uma mãe bem ao estilo mamãe ursa, que cuida e defende os filhos com unhas e dentes. Um irmãozinho que está começando a descobrir a vida com seus 8 anos de idade e Mia, uma adolescente de 17 anos, amante de música assim como os pais, boa filha e irmã e muito talentosa, seja na música ou na escola. Mia também tem um namorado, um guitarrista de uma banda local que começa a despontar nas paradas de sucesso.

Essa é a família apresentada logo no começo e é fácil gostar deles. A afeição pelos personagens é instantânea e natural. E é justamente por isso que a cena seguinte foi tão tocante e marcante, uma das mais sensíveis que já li pela crueza da narração e pela sensação de acontece o tempo todo, mas nunca pensamos sobre isso.

Um acidente!  Estamos acompanhando Mia em uma viagem para visitar os avós quando de repente o mundo gira de forma estranha e ela acorda na beira da estrada.  Ao se levantar percebe os corpos dos pais, já sem vida e não sabe onde está o pequeno irmão. Quando se vira se depara com seu próprio corpo, todo quebrado e largado no asfalto frio.

Mia a principio pensa estar morta, porém percebe a aproximação dos paramédicos e em pouco tempo se descobre em coma e percebe que na verdade está vivendo uma experiência extracorpórea. A partir de então Mia acompanha como mera observadora seus parentes e amigos que lhe vêm visitar, além do sofrimento de seu namorado que faz de tudo apenas para poder vê-la um pouquinho enquanto seu corpo luta para funcionar na UTI. Perdida e sem saber o que fazer a seguir, Mia descobre nas palavras de uma enfermeira que se dirigia ao seu eu cheio de tubos na maca, que a escolha é dela, se ela fica ou se vai, é ela quem irá decidir.

Com essa certeza dentro de si, Mia começa a viver o pior momento de sua vida, uma angustiante análise interna para descobrir quem ela é, porque iria continuar a viver, e acima de tudo se conseguiria continuar a viver.
Cena do Filme - Acidente   
Adorei a história! A trama está bem feita, os personagens são bons à narrativa cativa. Mas o que mais gostei foi da personagem Mia. Sua personalidade e suas histórias prendem aquele que acompanha de longe sua sina. Uma das melhores protagonistas que já vi em um drama.

Difícil falar de alguma coisa que não gostei.  O livro e curto e passou tão rápido que não percebi nada saltando aos olhos e me desagradando. Acho que queria um final diferente, mas não vou explicar ‘diferente como’, para não dar spoiler.

Gayle Forman
Trechinhos:

“Não tenha medo – sussurrava ela. – As mulheres podem suportar o pior tipo de dor. Você vai descobrir isso um dia. – Em seguida, ela voltava a gritar um puta que pariu!”

“Nunca tinha participado de um bate-cabeça na minha vida. Nunca me interessei por correr em círculos, bêbada, entre os caras grandões com roupas de couro que pisariam nos meus pés. Mas naquela noite, me deixei envolver por tudo aquilo. Entendi qual era a sensação de dividir a energia com a multidão e absorver a energia deles também. Entendi que quando você está ali, as coisas acontecem naturalmente, e que não precisa caminhar ou dançar. Basta apenas se deixar levar como se estivesse sendo sugada por um redemoinho.”

“Nunca vi ninguém se entregar à música como você. É por isso que gosto de ver você ensaiando. Fica uma ruguinha muito linda bem aqui, na sua testa – respondeu Adam, tocando em um ponto bem acima do meu nariz. – Sou obcecado por música e mesmo assim não consigo me transportar como você.”

“E é enquanto reflito sobre isso que penso sobre o que a enfermeira disse. É ela quem comanda o show. E, de repente, entendo a pergunta que vovô fez à vovó. Ele também tinha ouvido o que a enfermeira disse. E compreendeu a mensagem antes de mim. Se eu ficar. Se eu viver. A escolha é minha.”

Conclusão:

Fiquei muito feliz por ter pegado este livro nas mãos. Terminei a leitura em dois dias somente no trajeto entre casa/trabalho, trabalho/casa, simplesmente porque não conseguia largar o livro. É uma história que me emocionou muito ao mesmo tempo em que foi muito agradável de acompanhar. Recomendo para quem procura algo rápido e descomplicado para ler mas que não esteja disposto a abrir mão de uma boa história. Se Eu Ficar aliás é mais do que uma boa história, é uma história fantástica.

Autora: Gayle Forman
Livro: Se Eu Ficar (If I Stay)
Editora: Novo Conceito (Dutton Penguin)
Ano: 2014 (2009)
Páginas: 224

Ler é Mais

Lorem ipsun