ADs

Lançamentos de Abril da Nova Fronteira

Lançamentos de Abril da Nova Fronteira.

1789 - A História de Tiradentes, Contrabandistas, Assassinos e Poetas que Sonharam a Independência do Brasil
Pedro Doria
Sinopse:
A história e a força do pensamento Iluminista e Revolucionário que mudava a Europa e formatava o novo Mundo, no inusitado encontro dos estudantes José Bonifácio e Claudio Manoel da Costa, com poetas apaixonados e infratores que acabaram por construir juntos um dos momentos fundadores do Brasil Moderno e das nossas tradições heroicas e 'apaziguadoras'. O livro apresenta um belo passeio iconográfico pelo Brasil da época, levado ao seu centro (as Minas Gerais) e tomado por rebeldes ilustres.



O Ato e o Fato 
Carlos Heitor Cony
Sinopse:
No dia 1° de abril de 1964, Carlos Heitor Cony saiu às ruas e não acreditou no que viu. Havia no ar uma mistura de euforia, covardia e medo. Pessoas corriam assustadas, outras cantavam o Hino Nacional. E havia armas, muitas armas. O pesadelo estava apenas começando. Cony percebeu que era hora de falar. Era urgente dizer o óbvio - que o cidadão comum estava com medo e envergonhado. Da redação do Correio da Manhã, ele escrevia os atos que marcavam aquele fato histórico. Dia a dia, o escritor testemunhou em sua coluna a história se fazendo diante de seus olhos. Assim escreveu crônicas memoráveis, reunidas pela primeira vez em um livro. O lançamento da obra, ainda em 64, tornou-se o primeiro ato de protesto civil depois do golpe. Quarenta anos depois do golpe, o livro símbolo da resistência ainda mantém seu vigor.



Cidade
Nelson Rodrigues
Sinopse:

Em 1937, Nelson Rodrigues publicou no jornal O Globo o primeiro capítulo de sua novela Cidade. Sob o título “O Irmão...”, o início desse projeto editorial era tecnicamente completo, com personagens bem-desenhados e uma trama instigante apresentada ao leitor. No entanto, a novela nunca foi terminada. Acreditando na qualidade do material, a Editora Nova Fronteira convocou quatro destaques da nossa literatura para dar continuidade ao que Nelson começou em 1937. Assim, de capítulo em capítulo, André Sant’Anna, Carlito Azevedo, Aldir Blanc e Veronica Stigger conduziram a história concebida por Nelson, prestando tributos à obra do mestre, mas também deixando as suas marcas. O arremate de Cidade é um grande exercício da própria Nova Fronteira. Em esforço conjunto, os editores amarraram os textos de maneira surpreendente, vibrante, emocional. Não à toa, o último capítulo tem a assinatura de Suzana Flag — o pseudônimo feminino mais marcante de Nelson. Mais do que uma solução engenhosa para terminar a história de um dos ícones de seu catálogo, mimetizar Suzana Flag é um agradecimento formal ao legado de um homem que viveu para e pela palavra.

Ler é Mais

Lorem ipsun