ADs

Resenha (52) - Exorcismos, Amores e Uma Dose de Blues

Exorcismos, Amores e Uma Dose de Blues

Sinopse:
Em uma cidade como Libertá, quem falha dificilmente consegue uma segunda chance. Por isso, é com um misto de excitação e desconfiança que Tiago Boanerges recebe a visita de seu antigo supervisor. Exorcista experiente, foi demitido do Conselho de Hórus – organização responsável por investigar o comportamento de seres sobrenaturais – após fracassar em uma missão. A proposta é atraente: concluir o trabalho para o qual foi designado e alcançar a redenção. Mas o preço é alto, pois terá de se aproximar novamente de um antigo amor, que não só lhe custou a carreira, como seu próprio coração. Em um cenário noir em que blues e fumaça permeiam um submundo de seres fantásticos, ele sai em busca da musa que arruinou sua vida. Mas antes precisará exorcizar seus próprios fantasmas se não quiser falhar mais uma vez e ver sua vida destruída para sempre.




Antes de qualquer coisa, se você está com o livro em mãos e pretende ler, pule para a página 332 e consulte o Arquivo de Hórus (ou um breve dicionário). Mas só faça isso se for capaz se se segurar e não ler o final do livro como muitos fazem, ou então leia o final se isso o faz feliz!! =)

Digo para consultar o dicionário porque ele irá descrever algumas coisas sobre criaturas e personagens que aparecem no livro que, em minha opinião, tornarão a leitura mais prazerosa se você entender de antemão. Penei um pouco no começo para entender a mecânica do universo criado por Eric Novello justamente por não saber do que o autor estava falando. Ao contrário do que faz a maioria dos autores, que nos presenteiam com uma boa descrição daquilo que é desconhecido e uma descrição maior ainda (as vezes até cansativa) dos personagens e criaturas que criou, Novello optou por deixar o leitor ir descobrindo aos poucos conforme vai lendo.

Essa técnica usada pelo autor não chega a deixar o livro confuso nem chato, você se acostuma e aprende o que é o que até que rápido, porém quando li o tal dicionário fiquei com a certeza de que gostaria de tê-lo lido antes. Mas se quiser arriscar a leitura direta vá em frente pois assim como eu vai se acostumar com os universos de Libertá e do Entremundos.

A trama narra à história de Tiago Boanerges, antigo exorcista do Conselho de Horús que atua no controle de eventos feéricos que possam escapar do controle ou trazer risco a população de Libertá. Tiago, um dos destaques da corporação, é designado para exorcizar um perigoso ser capaz de seduzir qualquer criatura, em particular humanos, que tomou o corpo de uma jovem rockeira. Porém o exorcista não estava preparado para a missão e acabou se apaixonando pela musa, o que quase custou sua vida e a de Elisa, a jovem que deveria proteger.

A musa é vencida por outras pessoas do departamento e Tiago, doente e a beira da morte é deixado a sua própria sorte. Anos depois a musa retorna e seu antigo chefe lhe pede para se reaproximar de sua antiga amante e protegida, agora uma rockeira de sucesso nacional no auge da fama, para evitar que este ser volte a ocupar seu corpo.

Durante esse processo, que é acompanhando de um emocionante e quente reencontro, Tiago começa a se envolver em investigações paralelas que possam lhe levar ao paradeiro da Musa e acabar de vez com o problema, porém o Entremundos, o local onde os sonhos, criaturas oníricas e feéricas, e humanos se encontram, está abalado por forças misteriosas e não vai ser fácil descobrir a verdade que esconde o paradeiro da perigosa musa.

A obra de modo geral é uma completa viagem. Não desmerecendo o autor, pelo contrário! Refiro-me a uma prazerosa viagem por um novo mundo, uma nova metrópole que divide sua vida cotidiana entre os humanos adormecidos ou se preferir comuns e os humanos despertos, aqueles que podem enxergar e interagir com criaturas oníricas e feéricas, que podem atravessar o véu para o Entremundos e visitar Yume onde muitos destes seres estão presos. Esses humanos, agora conhecidos como magos, podem estudar e se tornarem-se exorcistas profissionais ou aplicarem seus conhecimentos em curas ou em qualquer outra coisa que venha a lhes ocorrer, e as possibilidade são enormes. Outras cultura máginas, como os necromantes, estão presentes agora em Libertá. Após o surgimento dos despertos, até mesmo a morte deixou de ser algo certo e imutável.

O que mais gostei do livro foi o universo criado por Novello. A ideia de uma distopia onde o mundo mudou após algumas pessoas despertarem para poderes ocultos e a viagem entre o mundo terreno e outras dimensões me agrada, é interessante e prende o leitor que quer saber mais sobre aquilo. Além disso, o fato do livro não ter sido escrito para o público jovem e não se importar em agradar com diversos clichês é algo digno de nota.

Não gostei principalmente da confusão nas primeiras 100 páginas. Tive dificuldade em me inteirar do que estava acontecendo, de quem era quem e de que mundo estávamos falando. Isso não estraga o livro pois tudo é explicado com o tempo, mas ao menos para mim, tornou a leitura inicial um pouquinho confusa e acho que uma descrição mais detalhada de personagens e lugares tornaria o livro mais dinâmico.
Eric Novello
Trechinhos:

“Três anos haviam se passado. Três longos anos sem que o procurassem, e agora queriam marcar uma conversa agradável e informal, o que quer que essas palavras significassem para eles. Tiago sabia que nem a quantidade de copos descartáveis na máquina de café do Conselho de Hórus era determinada ao acaso, por isso pesquisava. O motivo do contato devia estar ali, em algum lugar, disfarçado de evento corriqueiro...”

“As pessoas ali era hospedeiros voluntários, fãs de oníricos que se ofereciam à possessão. Muitos o faziam para reter  memórias advindas do mundo dos sonhos, apreciar sensações que fugiam à lógica corpórea. Alguns se viciavam na energia compartilhada no momento da integração. Outros se tornavam doadores, interessados não no que ganhavam, mas no que cediam a seus hóspedes. Uma lista tão diversa e pessoal quanto os desejos humanos.”

“São centenas de mundos, ilusões, metrópoles, confluindo para uma só cidade, uma região amórfica de ligação que se estende por quilômetros e quilômetros, indo e vido de lugar algum. Cada um desses mundos é um reflexo dos demais, versões de outras realidades que se influenciam de modo constante em busca de equilíbrio. O único jeito de chegar até eles é passar por aqui, por essa estrada velha, à mercê de distorções de tempo e espaço”, ele pausou buscando ar. “A não ser que você seja etéreo e não corpóreo, é claro, e possa viajar pelo mundo onírico, mas acho que nenhum de nós pensaria nessa possibilidade.”

“De braços abertos, Tiago se esticou nos lençóis, um homem e uma mulher aninhados em seu peito. Perdido entre exorcismos, amores e uma dose de blues, comemorou em seu íntimo o derradeiro orgasmo. Cada jorro livrando-o da culpa, afrouxando as amarras de seus erros, revivendo uma parte de si que julgava morta em definitivo.

Conclusão:
Este é um livro revigorante, diferente, talvez controverso, porém viciante com seu universo repleto de criaturas inimagináveis e dos sonhos de milhões de moradores de Libertá ou de qualquer outro universo que possamos imaginar. Um lugar onde nada é impossível mas mesmo assim, os humanos ainda são somente seres humanos! Um livro gostoso de ler, de mentes aberta e sem preconceitos. Recomendo a qualquer um que goste de uma boa história.

Autor: Eric Novello
Livro: Exorcismos, Amores e Uma Dose de Blues
Editora: Gutenberg
Ano: 2014
Páginas: 335

Ler é Mais

Lorem ipsun