ADs

Entrevista de Tabitha Suzuma - Proibido

Britânica Tabitha Suzuma romanceia sua experiência com depressão.

Fonte: Folha de São Paulo


A escritora britânica Tabitha Suzuma foi diagnosticada com severa depressão refratária com tendências bipolares. Isso depois de passar anos calando o estado de espírito em que estava mergulhada desde sempre e outros tantos procurando ajuda médica, fazendo terapias, medicada com antidepressivos.

É dessa trajetória que emerge sua obra literária de seis livros, cujo penúltimo, "Proibido", é lançado agora pela Editora Valentina. Suzuma revela que descobriu que o melhor a fazer seria escrever sobre sua doença mental, como ela a chama.

Leia alguns trechos de sua entrevista por e-mail para a Folha de São Paulo. Para ver a entrevista na íntegra clique aqui.
Thabita Suzuma - Autora de Proibido
Folha - O que os personagens de "Proibido" têm em comum com você?
O instinto maternal de Maya é definitivamente algo que compartilho. Eu cresci como a mais velha de cinco filhos e passava bastante tempo cuidando dos caçulas. Minha irmã menor, que nasceu quando eu tinha dez anos, me chamava de "mamãe". Quando eu tinha 14, meu irmãozinho nasceu e eu caí fora da escola enquanto minha mãe estava com ele na maternidade. Nunca voltei à escola, continuei estudando em casa. E durante seus 12 primeiros anos de vida era eu quem cuidava mais dele.

Folha - Abordar um incesto embasado num amor muito puro é uma maneira de questionar a moral e as leis vigentes?
Pode ser, mas não era minha intenção. Queria apenas escrever sobre uma história de amor definitivamente proibida! Uma relação inaceitável não somente pelos personagens da família, pelos amigos. Queria escrever sobre um amor condenável universalmente!

E também quis dar ao leitor a oportunidade de pensar quão instantaneamente condenamos as pessoas que quebram tabus sem saber das circunstâncias que as levam a fazer isso. Não estou pedindo que decidam se incesto deve ser legal ou ilegal, certo ou errado. Apenas quero encorajar as pessoas a manterem suas mentes abertas.

Ler é Mais

Lorem ipsun