ADs

Resenha (51) - Dragões de Eter - Os Corações de Neve

Dragões de Éter - Os Corações de Neve

Esta resenha pode contar spoilers. Caso não tenha lido o primeiro volume não aconselhamos a leitura deste texto. Veja a resenha de Dragões de Éter Vol.1 - Caçadores de Bruxas. 

Sinopse:

Nova Ether é um mundo protegido por poderosos avatares em forma de fadas-amazonas. Um dia, porém, cansadas das falhas dos seres racionais, algumas delas se voltaram contra as antigas raças. E assim nasceu a Era Antiga. Hoje, Arzallum, o Maior dos Reinos, tem um novo rei, e a esperada Era Nova se inicia.
Entretanto, coisas estranhas continuam a acontecer... Uma adolescente desenvolve uma iniciação mística proibida, despertando dons extraordinários que tocam nos dois lados da vida. Dois irmãos descobrem uma ligação de família com antigos laços de magia negra, que lhes são cobrados. Duas antigas sociedades secretas que deveriam estar exterminadas renascem como uma única, extremamente furiosa.
Após duas décadas preso e prestes a completar 40 anos, um ex-prisioneiro reconhecido mundialmente pelas ideias de rebeldia e divisão justa dos bens roubados de ricos entre pobres é libertado, desenterrando velhas feridas, ressentimentos entre monarcas e canções de guerra perigosas. O último príncipe de Arzallum resgata sombrios segredos familiares e enfrenta o torneio de pugilismo mais famoso do mundo, despertando na jornada poderosas forças malignas e benignas além de seu controle e compreensão.
E a tecnologia do Oriente chega de maneira devastadora ao Grande Paço, dando início a um processo que irá unir magia e ciência, modificando todo o conhecimento científico que o Ocidente imaginava possuir.
E o mundo mudará. Mais uma vez.
 
Créditos da Imagem: Vinny Cucci
O segundo volume da trilogia foi algo diferente. Talvez porque criei muita expectativa após a leitura de Os Caçadores de Bruxas ou talvez porque é o segundo volume e todo livro intermediário de uma trilogia sofre com a dificuldade em ser tão bom como o primeiro e ainda assim preparar para o grande clímax do último. Em Corações de Neve não foi muito diferente, não fugiu a ‘regra do volume 2’, porém não foi ruim, na verdade está longe disso!

Raphael Draccon conseguiu dar corpo a sua história e mantendo-a linear e de fácil compreensão. Mesmo com um final de certa forma fechado no primeiro livro, ele conseguiu resgatar a saga de seus protagonistas e manteve o ritmo agradável da leitura. Porém o conto em forma de um bardo que interage o tempo todo com o leitor, e que havia me encantado no primeiro livro, fica distante nesse segundo volume onde a narrativa é mais rápida e simples e menos dinâmica.

Outros personagens de contos de fadas foram inseridos, com a mesma maestria apresentada no inicio da trilogia, e os personagens evoluem muito nesse segundo livro. Aliás, esse é um dos pontos principais da escrita de Draccon junto com a pegada filosófica e reflexiva que ele emprega no texto, a construção dos personagens que é excelente e riquíssima. 

Intrigas e novidades não faltaram no livro. Novas raças são apresentadas, a política está em crise e tudo parece acontecer ao mesmo tempo com todo mundo. As relações amorosas se intensificam cada qual de acordo com seus personagens e idades e encantam o leitor que mais do que nunca começa a torcer para que seus favoritos consigam o que querem. Sem inventar muito na história, o autor conseguiu criar outro livro excelente e que parece preparar esse humilde semideus para um assombroso desfecho no próximo volume.

Carolina Mylius - http://carolmylius.com/pessoais/
A história segue narrando a vida dos protagonistas do primeiro livro. Os irmãos Hanson e Ariane Narin irão lidar com situações estranhas e muitas vezes perigosas, das quais nem sempre se sentem preparados e que podem mudar o cenário de Nova Ether. Ao mesmo tempo tentam amadurecer como jovens adultos e lutam para enfrentar as dificuldades que a vida cotidiana nos apresenta, principalmente no que diz respeito aos relacionamentos.

Apesar de ainda participarem muito do livro esse segundo volume não irá focar na história dos jovens, mostrando mais o amadurecimento de todos eles e desenhando os problemas que provavelmente irão enfrentar no terceiro e último livro.

Em outra linha da história, o jovem Rei Anísio Branford irá enfrentar diversos desafios neste inicio de reinado e terá muitas dificuldades para ser um Rei a altura de seu falecido pai. Problemas políticos que irão ocorrer logo no inicio da história, mais a misteriosa chegada de outra raça e sua fantástica tecnologia irá balançar os reinos e colocar Nova Ether em preparativos para uma guerra mundial e o inicio dessa guerra está nas mãos de Anísio.
    
Áxel é o personagem que mais ganhará destaque na história. Grande parte do livro se baseia nele e no torneio mundial de pugilismo, sediado em Arzallum, no qual o primeiro príncipe irá participar defendendo as cores de seu reino. O amadurecimento do personagem e a disputa do torneio tomam mais da metade do livro, dando uma visão diferente de vários personagens que haviam somente sido citados no primeiro ou que serão inseridos em Corações de Neve.

E em paralelo temos uma dupla de ladrões assassinos mais ou menos arrependidos que começam a recrutar jovens para uma antiga sociedade secreta. Snail e Liriel embarcam em uma aventura própria, mas não mesmo importante para os fatos que irão ocorrer no mundo etéreo onde vivem.

E por último, mas não menos digno de nota, um novo personagem aparece. Um tal de Robert, ex guerrilheiro e herói da lendária caçada volta a cena e com o mesmo objetivo que alimentou toda a sua vida, a independência de uma tal de Sherwood.....
 
O que mais gostei do livro foi a forma como Draccon envolveu a política de Nova Ether e seus personagens. Conhecemos um pouquinho de outros reinos e raças e isso deu corpo a história e um melhor senso de realidade. Há momentos em que parece estarmos lendo um noticiário e não um livro de fantasia e eu adoro isso. As tecnologias inventadas pelo autor são dignas de nota. Com um tom meio steampunk/fantasia me diverti com as invenções e a genialidade de como foram desenvolvidas.

Não gostei o desfecho de alguns relacionamentos do livro. Também achei que o torneio tomou uma parte muito grande da história e confesso que não via a hora dele acabar para que eu pudesse saber mais sobre o que iria acontecer. Apesar de ser bem detalhado e até emocionante, a competição cansou esse leitor que queria ler um livro de fantasia não de luta.
 
Raphael Draccon
Trechinhos:

“Adolescentes sorriram ao descobrir uma forma muito, mas muito mais fantástica de tocar em mundos de éter, melhores ou piores do que aqueles em que viviam. Porque descobriram que o ser humano é dotado de sonhos tão poderosos, que são capazes de manter mundos vivos dentro de si. E muito além de dentro de si. Existem histórias que podem mudar o mundo.”
                                       
“Ela estava usando roupas que apenas homens deveriam usar. Estava fazendo serviços que apenas homens deveriam fazer; não porque o sexo feminino seja frágil demais para se igualar ao sexo masculino, mas porque mulheres são seres fantásticos demais para utilizarem suas energias em trabalhos que não são dignos de suas sensibilidades.”

“- Se só existissem homens no mundo, garoto, o mundo já teria acabado. É preciso a sensibilidade feminina. Elas são mais sensíveis mesmo, sabe? Nós somos brutos, usamos muita força, queremos resolver tudo no tapa.
- Ah, nisso elas também! Elas puxam cabelo e metem a unha na cara e...
- Ah, mas nada que se compare com espadas, flechas e canhões. E elas geram vida. Você já pensou como deve ser isso?”

“Porque prefiro como aliado um interesseiro assumido que me diga verdades do que um interesseiro enrustido que finja agir por empatia ou altruísmo, mas só me diga embustes.”

Conclusão
Mais um excelente livro desse grande autor nacional. Posso não ter sido surpreendido mas Corações de Neve entrega tudo o que um segundo livro em uma trilogia deve entregar e com o ‘a mais’ da escrita do Draccon. Uma obra excelente e que me convenceu da trilogia mesmo sem ler o terceiro e último ainda.

Autor: Raphael Draccon
Livro: Dragões de Éter – Os Corações de Neve
Editora: Leya
Ano: 2010
Páginas: 498


Ler é Mais

Lorem ipsun