ADs

As 20 Autoras mais Influentes Segundo o The Baileys Women's Prize for Fiction

Premiação selecionou através do voto popular as 20 autoras e suas obras que são mais relevantes para o público em geral.

O The Baileys Women's Prize for Fiction premia todos os anos o melhor livro de ficção escrito por mulheres. Qualquer livro publicado em língua inglesa pode ser indicado e uma banca examinadora avalia e elege o melhor, algo parecido com a outras premiações do cinema e do literárias.

Recentemente realizaram uma votação aberta com o público para saber quais os 20 livros mais relevantes para os leitores e que é claro, foram escritos por mulheres. O resultado é essa tabela abaixo:

Como este tipo de premiação é um grande revelador de títulos para lermos, resolvemos falar um pouco mais sobre os 10 primeiros da lista, apesar que muitos já dispensam a apresentação.


To Kill a Mockingbird, Harper Lee (1960) - O Sol é para Todos
Este clássico da literatura norte-americana moderna ganhou o Pulitzer para Harper Lee e tem educado desde então gerações de crianças em idade escolar sobre os fundamentos dos direitos humanos e da lei. Um romance ideológico que acompanha Jem Finch e sua inseparável irmã mais aprendendo algumas difíceis verdades sobre o mundo. To Kill a Mockingbird se passa na "cansada e velha" cidade fictícia de Maycomb, Alabama durante a Grande Depressão. Um homem negro está sendo julgado pelo estupro de uma mulher branca e pai das crianças, o advogado Atticus Finch, tenta fazer com que a comunidade enxergar além dos seus preconceitos herdados geração após geração.


The Handmaid’s Tale, Margaret Atwood (1985) - O Conto de Aia
Mundo distópico de Atwood é uma perspectiva verdadeiramente assustadora para as mulheres, que são classificadas hierarquicamente de acordo com sua capacidade de reprodução e seu status social. Em última análise elas existem para servir aos homens, a classe dominante em um futuro próximo, na teocrática e totalitária República de Gileade. O premiado romance  teve inúmeras adaptações para o rádio, cinema e televisão, com sua heroína Offred lutando para escapar da posição aia em um mundo onde ela é pouco mais que um fantoche, controlado por seus proprietários e seus caprichos.


Jane Eyre, de Charlotte Brontë (1847) 
Mais famoso romance de CharlotteBrontë é frequentemente comentado ou mencionado quanto a relação que se desenvolve entre a heroína e seu amante, o Sr. Rochester. Começando com a vida de órfã de Jane em um rigoroso internato e mostrando o seu desenvolvimento em uma mulher atenciosa e inteligente, o livro oferece muito mais para os leitores do que uma história comum de romance. À frente de seu tempo, o romance explora temas de classe, gênero, sexualidade e religião. Retrata o mundo interior de sua heroína de forma tão convincente que acabou por consagrar a autora com o título de "primeiro historiadora da consciência privada"


Harry Potter, JK Rowling (1997) 
É difícil lembrar de um tempo antes da existência de Harry e seus amigos em Hogwarth's. A série de fantasia de JK Rowling explodiu em 1997 com a publicação de Harry Potter e a Pedra Filosofal, o primeiro de sete livros. Ajudada por Ronald Weasley e Hermione Granger, Harry Potter é destinado a missão de derrotar O Lorde das Trevas Voldemort em um conto clássico com toques contemporâneos que vê o bom triunfar sobre o mal.


Wuthering Heights, de Emily Brontë (1847) - O Morro dos Ventos Uivantes
Se Emily Brontëhad viveu antes dos anos 30, quem sabe que outras obras da literatura poderia ter surgido a partir desta talentosa escritora? O vínculo entre Cathy e Heathcliff inspirou uma série de adaptações, desde o ballet, televisão e uma ópera em 1978 com uma música de Kate Bush's. a representação de Brontë das remotas charnecas do norte da Inglaterra é um dos melhores exemplos de definição na literatura. Desafiando os estritos ideais vitorianos da época, o livro recebeu críticas mistas quando o primeiro e único romance da autora foi publicado. Hoje é amplamente considerado como um clássico.


Pride and Prejudice, Jane Austen (1813) - Orgulho e Preconceito
O amado romance de costumes de Jane Austen conta a história das irmãs Bennett, condenadas a serem despejadas de sua propriedade por causa de seu gênero necessitadas de um bom pretendente para salvá-las da miséria. Com um enredo de suspense amoroso, uma mãe irritante e divertida, um elenco diversificado de personagens e amplos comentários sobre os costumes sociais da vida do século 19, Orgulho e Preconceito ainda é tão relevante hoje como era quando foi escrito. Adicione a isso a linha de abertura mais citada na história da literatura faz com que o livro de Austen seja universalmente reconhcido como um clássico e um clássico será enquanto existirem pessoas que lêem.


Rebecca, de Daphne du Maurier (1938) - Rebecca - A Mulher Inesquecível
"Ontem à noite eu sonhei que fui para Manderley novamente." A segunda Sra. de Winter conta a história da propriedade malfadada e seus habitantes. Pertencente ao seu marido Maximilian, Manderley se torna nova dona da casa depois que um namoro rápido resulta em casamento. O lugar é assombrado pelo fantasma de Rebecca, primeira esposa de Maxim, que tem sua presença mantida viva pela assustadora Sra. Danvers, que se recusa a deixar que sua amada amante descanse em paz.


Little Women, Louisa May Alcott (1868) - Mulherzinhas
Acompanhando as vidas das irmãs Marsh desde a infância até a idade adulta, o romance de Louisa May Alcott foi escrito em vários meses para cumprir os prazos de seu editor. Um sucesso imediato de crítica e comercialmente, a autora escreveu duas continuações após vários pedidos de seus leitores qu imploravam para saber mais sobre a família Marsh. Com as quatro irmãs  retratando diferentes facetas da feminilidade - Jo é voluntariosa, Meg é dona-de-casa, Beth a gentil e Amy a astirta - o drama familiar de Alcott conquistou uma ampla variedade de leitores ao longo dos séculos.


The Secret History, Donna Tartt (1992) - A História Secreta
Descontentes com a vida tradicional de sua familia californiana, Richard Papen se aplica em uma faculdade de artes liberais em Vermont. Uma vez lá, ele se torna obcecado com um bando de alunos que estudam grego antigo. Admitido como um membro de fora em suas fileiras, Richard vai lamentar a adesão quando os segredos de suas vidas dionisíacas são revelados. O talento de Tartt para a caracterização e o humor negro que sustenta a sua história fez com que o livro se tornasse um dos títulos literérios mais popular do passado recente.


I Capture the Castle, Dodie Smith (1940) 
A Autora britânica Dodie Smith é mais conhecid por seu livro infantil Os 101 Dálmatas, porém era também uma aclamada dramaturga e romancista. Seu romance de estréia 'I Capture the Castle' foi escrito na década de 1940, depois de Dodie e seu marido emigraram para a Califórnia. O romance remonta à década de 30 no pré-guerra, relacionando as aventuras da família Mortmain e seu estilo de vida de pobreza refinada em um decrépito castelo Inglês.



O vencedor do prêmio deste ano foi o livro 'A Girl is a Half-Formed Thing', livro de estréia da irlandesa Eimar McBride.

Ler é Mais

Lorem ipsun