ADs

V Encontro Blogs de Letras


Na última sexta-feira aconteceu o V encontro do Blog de Letras, do qual fomos convidados.

Com o intuito de aproximar os editores, autores e blogueiros, o evento contou com a presença da Editora SESI/SENAI, a equipe do publishnews e é claro, muitos blogueiros.

Entre os entrevistados da noite tivemos o Editor Chefe da SESI/SENAI, Rodrigo de Faria, e os autores Luiz Braz (Sozinho no Deserto Extremo; Muitas Peles; Babel Hotel; Bia Olhos Azuis; A Poção da Vida; Vítor e o Invisível e Ganhei Uma Menina!)  e Paulo 'Magrão' Garfunkel (Músico, roteirista e escritor, criador do quadrinhos O Vira-lata e recentemente lançou o livro 'Shui: Entre os Vermes da Superfície'), veja como foi:
             
            Cassia Carrenho do Publishnews.                              Sérgio Pavarini do PavaBlog.

Rodrigo de Faria falou sobre a dificuldade que é publicar um livro nos dias de hoje, tanto para o autor iniciante quanto para a editora. "Hoje em dia a peneira tem de ser muito mais apurada e pouca coisa se destaca". Porém, o editor lembrou que com as plataformas de auto-publicação os autores tem uma saída para lançar suas obras praticamente ao custo zero de investimento. Há tempos o mercado editorial vem acreditando nesse modelo e algumas editoras inclusive já lançaram suas próprias plataformas que auxiliam os aspirantes a autor nessa empreitada.

Rodrigo ainda comentou sobre sua trajetória no SESI/SENAI - "Comecei no final de 2011 e o projeto (editora) estava atrasado e correndo o risco de não sair devido a sua complexidade. Tinha de fazer basicamente um trabalho de ourives".

Por último o editor falou sobre o recente interesse da SESI nos blogs literários e qual a importância que estes têm para a editora.
"Acho que os blogs têm uma função de peneira. Hoje o leitor tem muita opções e acaba escolhendo o óbvio. O blog ajuda a mudar isso apresentando opções. A tendência é as pessoas buscarem informações na rede e é ai que o blogueiro pode divulgar boa literatura, ou boa literatura para o blogueiro, mas ao fazer isso ele irá fomentar a leitura e difundir algo novo naquele grupo do qual faz parte".

Depois de uma pausa na qual foram realizadas algumas gincanas onde só para variar o grupo que acabei ficando não ganhou nada rsrs, foram chamados a mesa os autores "Luiz Brás" e "Paulo Magrão Gafunko". As entrevistas foram realizadas por Sérgio Pavarini.

Além de falar um pouco sobre suas obras e de fornecer dicas valiosas sobre como desenvolver uma boa resenha (Além de autor, Luiz é resenhista da Folha), falou também sobre um tema bem atual, o preconceito com relação a gêneros literários, muitas vezes chamados de subliteratura.

Sérgio Pavarini - É legitimo denegrir estilos dizendo que estes não são literatura?
Luiz Bras - Este é um cenário que ainda não mudou. Sou apaixonado por ficção cientifica e literatura infanto-juvenil porque, mesmo que não haja uma confissão, são considerados sub-literaturas. Eu acho isso uma burrada! Os bons livros destes gêneros extrapolam essas fronteiras. São antes de qualquer coisa, boa literatura.

Entre outras coisas, o autor também deixou algumas dicas para os blogueiros criarem suas resenhas. Segundo ele não há fórmula, mas algumas coisas podem ser observadas.

Sérgio Pavarini - Queria um tutorial de você do que uma resenha deve ter e do que não deveria ter.
Luiz Bras - Uma resenha deve ter 2.500 toques (caracteres contando os espaços) e se a obra é importante em torno de 3.500. Uma resenha não segue um padrão. Se eu for dizer algo que não é bacana, é aquela resenha que resume o livro, aquela que só opina também não é interessante. Eu tento mesclar as duas coisas e passar o porque o resenhista curtiu ou não curtiu o livro.


E ainda tivemos a participação de Magrão, ou Paulo Gafunkel que entre outras coisas revelou a adaptação de seu quadrinho O Vira Lata para uma minissérie da Globo.

Sérgio Pavarini - Uma recente pesquisa do twitter revelou que o termo livro de literatura foi o 5° mais pesquisado. Ler virou ou não virou modinha?
Magrão - Ler não deveria ser modinha, deveria ser um ato intencional. Mas a gente pode tirar proveito dessa onda. Acho que não é modinha, acho que estamos melhorando, o país está melhorando, estamos lendo mais.

Sérgio Pavarini - A arte pode ser conservadora?
Magrão - Se o cara está mostrando a verdade, mesmo que seja a verdade dele, ele vai passar essa tendência progressista seja qual for a arte que produz. Acho que isso que importa.


Em breve para vocês resenha dos livros que recebemos. Espero que tenham gostado do resumo.

Para saber mais:

Sobre o Publishnews clique aqui.
Sobre a Editora SESI/SENAI clique aqui.
Sobre Luiz Bras clique aqui.
Sobre Paulo Gafunkel clique aqui e aqui.

Ler é Mais

Lorem ipsun