ADs

Lançamentos de Maio da Globo Livros


A Estrela de Prata 
Jeannette Walls
Sinopse:
Duas irmãs abandonadas pela mãe declaram uma guerra particular contra inimigos sem rosto: a crueldade, o preconceito e a hipocrisia que vivem à espreita no chamado mundo adulto Liz e Bean são duas irmãs inseparáveis, filhas de uma artística mãe solteira, Charlotte, aspirante a cantora e atriz na efervescente Califórnia dos anos 1970. De súbito, as meninas se veem forçadas a enfrentar um evento decisivo: em busca da realização de seu ideal artístico, Charlote abandona as filhas, deixando-lhes dinheiro suficiente apenas para que sobrevivam por pouco mais de um mês. Aqueles leitores que já travaram contato com as memórias da premiada best-seller Jeanette Walls em "O Castelo de Vidro", reconhecerão em "A Estrela de Prata" alguns temas muito caros à autora. Temos o olhar agudo sobre a infância, vivida em famílias pouco convencionais, às margens da sociedade, enfrentando a dureza da luta diária pela sobrevivência. Em "A Estrela de Prata", acompanhamos a aventura de Liz e Bean em busca de amor, solidariedade, e, no limite, do pão diário. Tornadas órfãs, embora a mãe esteja viva, a situação-limite exige um esforço inaudito de superação. “Encontre a magia. E, se você não puder encontrar magia, então a crie”, recomendava Charlote a Liz e Bean. É uma bela definição da arte da literatura, essa busca eterna pela fugaz epifania. É essa a história que lemos. A aventura de enfrentar a dor da vida e extrair dela, no limite, bocados diários de magia.


Lonely Planet Leste Europeu 
Vários Autores
Sinopse:
Bem-vindo ao Velho Mundo O guia Lonely Planet: Leste Europeu, lançamento da Globo Livros, cobre 21 países repletos de história, mistério e beleza Quem já leu ou viu Drácula, de BramStoker, pode imaginar as emoções que aguardam o viajante na misteriosa Transilvânia, na Romênia. Ir até essa lendária região de trem, cruzando os majestosos Cárpatos, rios de águas azuis e castelos medievais, já é uma senhora aventura. E apenas uma das muitas experiências inesquecíveis que você pode viver nos 21 países minuciosamente explorados no novo guia Lonely Planet: Leste Europeu, publicado neste mês pela Globo Livros. Em suas mais de 900 páginas, o livro percorre Rússia, Estônia, Letônia, Lituânia, Belarus, Polônia, Ucrânia, República Tcheca, Eslováquia, Moldávia, Hungria, Romênia, Eslovênia, Croácia, Bósnia e Herzegovina, Montenegro, Sérvia, Bulgária, Kosovo, Macedônia e Albânia, mostrando as suas principais atrações e os melhores lugares para se hospedar, comer e passear. Há um capítulo detalhado dedicado a cada país, além de seções gerais que ajudam o leitor a decidir o seu roteiro. Atrações não faltam: do museu Hermitage, um dos mais celebrados do mundo, na cidade russa de São Pertersburgo, às praias do mar Negro, na Bulgária, o viajante não se cansará das belezas de uma região esculpida ao longo de séculos de uma história riquíssima de impérios magnânimos, guerras impiedosas, comunismo e muita, muita cultura. A arquitetura, por si só, já vale a viagem: muralhas da Idade Média dividem espaço com bairros otomanos, como o charmoso Mostar, na Bósnia e Herzegovina, e a sofisticação do estilo art nouveau, que é um dos destaques de Riga, capital da Letônia. Na Albânia, você pode visitar a “cidade das mil janelas”, a bucólica Berat. E aquele jeitão de Velho Mundo? Rume para a espetacular Dubrovnik, na Croácia. Não pense, porém, que é preciso ser fã de história e arte para aproveitar a região. Se você faz o tipo esportista, pode pedalar pelo istmo da Curlândia, na Lituânia, e ganhar um bom causo para contar pelo resto da vida. Caminhadas pelos Tatras, na Eslováquia, que estão entre as mais altas montanhas dos Cárpatos, é outra opção sob medida para os que buscam adrenalina. Amantes de passeios ao ar livre ficarão impressionados com a generosidade da mãe natureza nos Bálcãs: não percam as paisagens surreais de Montenegro, como a Baía de Kotor. Para os que gostam de agito, que tal badalar na Riviera Croata, pontilhada por iates, ou aproveitar as Noites Brancas do verão russo? Moscou, com sua magnífica Praça Vermelha, a polonesa Cracóvia e, claro, Praga, a “Paris do Leste”, não deixarão você descansar nem um minuto. Tallinn, na Estônia, desponta como o próximo destino da moda. E Budapeste, cortada pelo famoso rio Danúbio, tem balada e muito romantismo – fica a gosto do freguês. Ao final de cada capítulo, na seção “Entenda”, todos os países ganham um resumo de sua trajetória, para que o leitor aprenda o básico sobre cada destino. No utilíssimo “Guia de Sobrevivência”, você se informa sobre o funcionamento de hotéis, restaurantes e do transporte público, as formas de pagamento aceitas, os feriados nacionais, os possíveis cuidados que deve tomar e outros dados práticos que facilitam, e muito, o planejamento. Escrito por 15 autores diferentes com larga vivência na região, o guia é um companheiro e tanto para o viajante, que se sentirá mais seguro, informado e, sobretudo, ansioso para desvendar os encantos dessa Europa mais longínqua.


Lonely Planet Grã-Bretanha
Vários Autores
Sinopse:
Ela exerce fascínio sobre o resto do mundo inteiro, e não à toa: o novo guia Lonely Planet: Grã-Bretanha, lançamento da Globo Livros, desvenda as paisagens, os castelos e toda a cultura que aguardam você nessa ilha toda especial Você já a viu na série DowntonAbbey. No filme Coração Valente. Nos amores de Jane Austen, na lenda do Rei Arthur, nos mistérios de Sherlock Holmes, nas perseguições de James Bond... E, agora, ao vivo e em cores: está na hora de se deslumbrar de pertinho com a paisagem da Grã-Bretanha. E ninguém melhor para ajudar nessa missão do que o guia Lonely Planet: Grã-Bretanha, que cobre em detalhes Inglaterra, País de Gales e Escócia, além de ilhas pertencentes a esses países. Publicado agora pela Globo Livros, o livro de mais de mil páginas vem recheado de mapas, fotos e informações fresquinhas. Museus restaurados ou recém-abertos, como o de Liverpool e o Riverside Museum de Glasgow, além de outras tantas novidades, aparecem ao longo de seus 18 capítulos dedicados às diferentes regiões. Que tal embarcar em um trem e ver passando pela janela castelos, florestas misteriosas e chalés de campo no mais puro estilo Agatha Christie? Essa é só uma das muitas formas sugeridas pelo guia de explorar a região. Não faltam maneiras de se chegar a Bath, com seus famosos banhos romanos e lindos palacetes georgianos, às universitárias (e antiquíssimas) Oxford e Cambridge e às deslumbrantes Highlands escocesas. Museus londrinos, como a maravilhosa NationalGallery e as Tates, pubs ingleses e destilarias escocesas de uísque são só um pedacinho da experiência do viajante em uma terra repleta de vilarejos charmosos, igrejas majestosas – só a Catedral de Canterbury já valeria a viagem – e montanhas imponentes. Na região da Snowdonia, no noroeste do País de Gales, picos rochosos e vales glaciais encantam o visitante, assim como na ilha de Skye, no nordeste da Escócia. Quem quer badalação pode perambular sem destino pela moderníssima Glasgow ou cair na balada de Edimburgo, animada no verão e dona de um dos melhores Réveillons do mundo. Já os que preferem voltar ao passado encontrarão em Stonehenge, o enigmático círculo de rochas azuladas de 5 mil anos de idade, e na Muralha de Adriano, de 2 mil anos, verdadeiros portais para outras eras. Já seguir os passos de William Shakespeare em Stratford-upon-Avon será inesquecível para os fãs do bardo inglês. Para descansar, é fácil: faça uma pausa para o chá das cinco. Como possibilidades não faltam, é importante conhecer um pouco mais sobre os destinos antes de partir. Assim você decide, entre a infinidade de atividades e cenários, quais não podem ficar de fora do seu roteiro. Capítulos sobre a longa e riquíssima história, a paisagem e a vida silvestre, as artes (e haja arte!), a arquitetura, a gastronomia e os esportes mais amados da Grã-Bretanha aproximam você desse incrível trio de países. No capítulo Informações Úteis de A a Z, o leitor esclarece dúvidas burocráticas.Dicas de transporte também são uma mão na roda em sua jornada. Você sabia, por exemplo, que, além de conduzir o carro no banco do lado direito, é preciso circular à esquerda nas pistas? E que, em muitas cidades, pode-se deixar o carro em um estacionamento mais em conta na periferia e circular dentro delas de ônibus? A seção Idioma traz frases-chave para o viajante se virar no dia a dia, orientações de pronúncia e um glossário para deixar o seu inglês britânico afinadíssimo. Afinal, entrar em um pub com o famoso “Can I have a beer, please?” na ponta da língua faz toda a diferença. Por fim, um índice remissivo ajuda o leitor a localizar rapidamente o que deseja. Nada menos do que 12 autores colaboraram com o guia, cada qual cobrindo uma área específica. E teria sido difícil simplificar essa tarefa: a Grã-Bretanha tem atrações para dar e vender, ícones mundiais que não acabam mais e mil razões – uma por página – para você fazer as malas e partir para a viagem da sua vida.



Black Sabbath: A Biografia 
Mick Wall
Sinopse:
Escrito por Mick Wall, livro apresenta a história definitiva dos incontestáveis pais do heavy metal. A obra inclui caderno de fotos com 24 páginas Tony Iommi, Geezer Butler, Bill Ward e Ozzy Osbourne. A escalação do time original do Black Sabbath está na ponta da língua dos fãs. Mas até mesmo o mais ardoroso admirador teria dificuldade em lembrar o nome dos outros 21 músicos que ajudaram a construir essa lenda do rock. Em 45 turbulentos anos de existência, foram tantas e tão profundas mudanças na formação que é quase um milagre que a aura da banda tenha chegado ilesa aos dias atuais. Sobreviver talvez seja a grande arte do Black Sabbath. É o que o leitor pode constatar em Black Sabbath: a biografia. Com a riqueza de detalhes característica das obras de Mick Wall – autor que se destaca como biógrafo de grandes lendas do rock –, o livro conta a história de um grupo que tinha tudo para nem sequer existir. Típicos garotos proletários de Aston, subúrbio de Birmingham, Inglaterra, a rotina deles se dividia entre a paixão pela música e a urgência em ganhar a vida. O que significava encarar eventualmente trabalho pesado (Tony Iommi, por exemplo, era operário) ou atividades ilícitas (Ozzy Osbourne cometia pequenos furtos), com todas as suas consequências: Iommi perdeu a ponta de dois dedos numa prensa de metal, quase abortando sua trajetória musical antes mesmo de ela começar, e Ozzy cumpriu seis semanas de prisão. Mais que uma paixão, a música parecia a via mais rápida para fugir desse ambiente pouco promissor. O livro conta como esse improvável sonho virou realidade. E como a realidade logo se transformou em pesadelo para todos a partir do momento em que o sucesso produziu seus previsíveis efeitos: egos inflados e nenhum freio para as loucuras com álcool, drogas, sexo e excentricidades. Nada de diferente de outros grupos da indústria musical. No entanto, no período em que os dinossauros do rock dominavam a Terra, o Black Sabbath alinhou-se entre os maiores de sua espécie – e fez por merecer a fama de mais temível entre todos. Nascido no hiato entre o verão hippie do amor e a explosão do glam rock, o Black Sabbath chegou a ser a banda mais insultada do planeta – pela imprensa, por outras bandas, por quase todo mundo. Praticamente ninguém entendia aquela mistura de pesados riffs de guitarras, baixo explosivo, bateria detonadora e vocais lancinantes. Ninguém, exceto por legiões de moleques que vislumbraram ali as bases do que viria ser um dos mais cultuados subgêneros do rock: o heavy metal. Black Sabbath: a biografia conta sobre a expulsão sumária de Ozzy da banda; revela como o grupo perdeu os direitos sobre as próprias canções para empresários ardilosos; relembra a brilhante era com Ronnie James Dio à frente dos vocais, bem como a incessante dança das cadeiras na formação da banda, e registra a volta por cima de Ozzy, amparado pela fama como celebridade de reality show e pela astúcia empresarial da mulher, Sharon. Tudo é narrado em cores fortes, do ponto de vista de quem testemunhou ou conheceu em primeira mão boa parte dos fatos descritos. Em sua maioria, as citações do livro foram extraídas de entrevistas formais e contatos diretos com os personagens. Seja como jornalista da mídia especializada, seja como assessor de imprensa, Mick Wall se relacionou com o Black Sabbath, Ozzy e Dio ao longo de 35 anos, numa relação que alternou amor e ódio, mas que sobrevive até hoje alimentada pela mais profunda admiração: aos catorze anos, Wall foi um daqueles moleques que entendeu o que era o Sabbath – e teve sua vida mudada para sempre. O autor Mick Wall, conceituado jornalista britânico especializado em música, é ex-editor da revista Classic Rock. Ele também colaborou para Mojo, The Times e outras publicações ao redor do mundo, apresentou programas na Sky TV, Radio 1 e Capital Radio, e apareceu em incontáveis documentários sobre música na BBC. Em mais de trinta anos de carreira, entrevistou as principais bandas e artistas do rock internacional. É autor de Led Zeppelin: quando os gigantes caminhavam sobre a Terra, de Appetite for destruction, uma coletânea de artigos, e Metallica – a biografia, publicado pela Globo Livros.


Aventuras de Alice no País das Maravilhas 
Lewis Carrol
Sinopse:
Alice repaginada Globo Livros lança edição primorosa do grande clássico de Lewis Carroll, com ilustrações da grande dama da arte contemporânea, Yayoi Kusama, e tradução de Vanessa Barbara Aventuras de Alice no País das Maravilhas, da Globo Livros, é forte candidato à lista dos grandes lançamentos editoriais de 2014 no Brasil. A edição promove o encontro de Lewis Carroll, precursor da literatura de vanguarda no século 19, com Yayoi Kusama, pioneira da pop art e do minimalismo no século 20. O resultado, potencializado pela tradução de Vanessa Barbara, é uma obra que resgata o prazer único do contato sensorial com o livro em plena virtualidade do século 21. Yayoi é, aos 85, uma das mais importantes artistas vivas. Nascida em 1929 no Japão, mudou-se na década de 1950 para os Estados Unidos, tornando-se uma das figuras centrais da vanguarda artística nova-iorquina. Colega e influenciadora de nomes como Andy Warhol e Claes Oldenberg, sempre se expressou por meio dos mais diversos suportes artísticos – pintura, escultura, instalação, vídeo, performance, happening – e também foi militante dos direitos civis durante a década de 1970. Há quase quarenta anos, sem jamais ter abandonado sua arte, Yayoi vive internada voluntariamente numa clínica psiquiátrica de Tóquio. É esquizofrênica e sofre de transtorno obsessivo compulsivo, males que ela afirma ter relação direta com sua expressão artística: suas obras nascem das alucinações que sofre desde a infância, como as visões distorcidas que a fazem enxergar bolas e pontos em todos os lugares. Desde outubro do ano passado, os brasileiros vêm tendo a oportunidade de conferir ao vivo uma inédita retrospectiva da obra de Yayoi. Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo (em SP a exposição abre em maio, no Instituto Tomie Ohtake) são as capitais incluídas na turnê internacional da exposição “Obsessão Infinita”, que em 2013 bateu o recorde de público do Malba (Museu de Arte Latinoamericano de Buenos Aires), com mais de 200 mil visitantes. O complexo museológico do Instituto Inhotim, em Minas Gerais, também expõe uma criação da grande dama da arte contemporânea: Narcissus garden, 500 esferas metálicas boiando em um espelho d’água, deslocando-se ao sabor dos ventos. Esta nova edição de Aventuras de Alice no País das Maravilhas proporciona uma festa para os olhos com o magnífico trabalho de ilustração de Yayoi Kusama. Alice nunca pareceu tão maravilhosamente psicodélica e surreal. O bom humor e os trocadilhos do texto original ganham novo sabor na versão em prosa para o português. Um dos destaques da tradução são os criativos e ritmados trechos em versos. A tradutora Vanessa Barbara trabalha como jornalista, escritora e colunista do New York Times e da Folha de S.Paulo. Para além de lançamento nobre para o público infantojuvenil, esta primorosa releitura de Alice, encadernada com capa dura em tecido, é um objeto de desejo para leitores de todas as gerações de amantes do livro.


O Castelo de Vidro 
Jeannette Walls
Sinopse:
“Filha, a gente não tem dinheiro para o presente, mas escolhe uma estrela no céu, e fica com ela pra toda a vida.” Todo mundo pode dar uma segunda chance à vida. Em suas memórias, a jornalista e escritora Jeannette Walls nos mostra, sem pieguices e respostas fáceis, que tudo na vida é mesmo relativo, que as adversidades podem ser vividas com leveza, somando aprendizado e grandeza às nossas biografias.

Ler é Mais

Lorem ipsun